Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2014

Ano Novo - Acabou a Preguiça ! #retratodoproximoano

Imagem retirada: Imagens Google. 
Qual é o teu? :)

50 factos sobre mim em 2014

Olá, o ano passado por esta altura, escrevi 50 coisas sobre mim em 2013, este ano mais 50, iguais ou não, não sei. Tenho a dizer que está a ser complicado, porque vivi tantas experiências estes últimos 3 meses que acabei por me esquecer o resto dos outros 9 meses e tenho a minha vizinha a cantar bailando, a vida não é fácil. 
1.Tentei perder o vicio de lavar o cabelo todos os dias, mas ainda não estou completamente curada.  2. Com este Verão, foi o ano que mais escrevi cá. 3. Sou uma perita em transportes públicos. 4. Entrei na universidade, nada que soubessem. 5. Percebi que sei tomar conta de mim. 6. Lavo a loiça e faço a cama todos os dias. Passo para adulta, feito. 7. Bebo alcool quando saio e sei o meu limite. (Este foi o primeiro ano que "comecei" a sair a noite).  8. Deixei de ter medo do inesperado. 9. Decidi que não ia voltar a sentir-me apaixonada e fazer figura de estúpida por não saber lidar com os meus sentimentos.  10. Lido bem com o facto de estar a viver dur…

Passado do Presente

Sempre que escrevo aqui, leio o texto mil vezes depois do publicar, encontro os erros e reflito sobre a minha opinião. Ontem escrevi sobre o meu passado no Natal, sobre a magoa que já senti e que coloquei na minha cabeça que será sempre assim. Dei a entender que vou estar sempre de pé atrás e que estes dias não serão mais que dias tristes para mim. Todos os anos me lamento do mesmo, é o que tenho feito. É como se num determinado dia me doesse a barriga e todos os anos me lembrasse nesse dia, acabando por tomar um comprimido para não sofrer. Com o crescimento pessoal percebi que não tenho guardar magoa das pessoas quanto mais de épocas do destino. Momentos de crescimento é o que posso dizer. Dei por mim a pensar que hoje, deixando o ontem para trás, até gosto disto. As crianças radiantes com a esperança da chegada do Pai Natal. Os mais velhos a preparar a preparar a ceia. A demonstração dos dotes culinários das pessoas. Agradecimento por mais um ano. O calor do carinho nos diálogos, &…

Papel Dourado

Natal, papel dourado do ano, a ideia de terminar em bom. Luzes, efeitos, muita alegria e amor. É o que desejamos sem sentir, a tradição, o hábito do final do ano. Não sei onde me encaixo. Não sei se gosto, se não gosto, pouco sinto é o que posso dizer. A partir dos acontecimentos vividos Dezembro é o mês que tenho medo da morte, o tempo em que alguns dos meus familiares mais próximos partiram. É a época que me marca a saudade de os ver e partilhar sorrisos. Desde a morte do meu avô criei a ideia em mim que o Natal não fazia sentido. É só mais um jantar que esperamos pela noite juntos a volta da mesa. Bacalhau, batatas cozidas, calor da lareira e minutos a passar. A falta de união por desentendimentos adultos levaram-me acreditar que só nos "juntamos" pela tradição, o carinho, o verdadeiro sentido não aparece. Nos momentos de conversa com os amigos, pouco opino, não quero estragar o momento de alegria nas palavras deles. Contudo, mesmo com este sentimento do pouco sinto, ten…

Maquina de escrever silêncios.

Apaixonar-me pelas palavras, sentir o que elas dizem torna-se difícil numa vida atarefada. Escrever ao observar o outro torna-se inevitável, opinar sobre aquilo que não tem opinião. Ao deitar as ideias surgem, ao acordar deixam de fazer sentido, o que senti ontem, já não sinto hoje. A mente é pouco prestável a imaginação duradoura. Quero quero quero e não consigo concentrar o meu consciente ao ato. Vivi experiências este ano que está a terminar e quero dedicar o resto dele ó que mais me marcou e ajudou a perceber os meus princípios e valores. O meu pequeno espaço, o meu blogue. Concentrar o meu coração as palavras é o que quero atarefar à minha vida, é o que me vou dedicar. Até já.