Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2012

Futebol

Então, sou o tipo de pessoa que de um momento para o outro começou a gostar de futebol mas per sua vez não joga nada… Não joga nada, mas gosta de chutar uma bola… Gosta de chutar uma bola, mas nem sempre lhe acerta da melhor maneira… Não acerta da melhor maneira, visto que não nasceu ensinada! Trocando isto por miúdos, sou o tipo de pessoa que de um momento para o outro começou a gostar de viver, mas per sua vez não dá uma para a caixa … Não dá uma para a caixa, mas gosta de tentar… Gosta de tentar, mas não vê as coisas da melhor maneira… Não vê as coisas da melhor maneira, visto que não nasceu ensinada! E aqui se encontra o problema de muita gente, se fores como eu, gostas de ser correta… De acertar logo com a bola na baliza. E para conseguires? Tens que correr quase meio campo, acreditar que a bola é tua amiga, e confiares nos teus colegas de equipa. Podem não ser as melhores pessoas ao teu ver, no entanto são as que te acompanham e disso não te safas. Podes achar que as atitude…

Sol de Inverno.

Era uma vez uma menina de cabelos lisos e olhos castanhos… Esta menina brincava as bonecas e sonhava em ser feliz quando cresce-se. Desde muito pequena, era bastante envergonhada, e tinha muito medo que a ofendessem. Achava que tinha que ser amiga de todos os meninos da escola, não gostava de conflitos e não sabia reagir se fosse o centro das atenções, por uma vez fosse… por uma vez. Tinha medo dos gandulos da sua rua, e quando saía de casa sozinha, levava uma pedra na mão. Nestes tempos, lembrava-se de brincar nos campos com erva-gigante perto das vaquinhas com manchas pretas da avó. Sabia que era amada pelos pais, mas, se alguma forma, tinha medo de não ser amada pelos outros… Fazia tudo para agradar. Lembro-me que ela tinha poucas amigas, e dava-se melhor com os meninos, os seus vizinhos. Deu o seu primeiro beijo à porta do elevador do seu prédio sem saber bem o que estava a fazer. Era feliz e insegura. Os invernos foram passando, uns a seguir aos outros, e percebeu mesmo com toda…

Expetativa e Desejo.

Sabes aquele momento do teu dia que uma coisa te corre bem?
E passado umas horas acontece uma ainda melhor? Aquele desejo que tens algum tempo, mas que pensaste que o destino
nunca o ia concretizar.. E depois ele acontece.
Sim aconteceu-me e fiquei e ainda estou um bocado aparvalhada com tudo o que aconteceu.
Parecia que estava a viver um sonho, porque que me lembre nunca me aconteceu tal coisa.
E agora tenho medo que todo este sonho so tenha durado aquele dia e que nunca mais volte aconteceu nada do género.
A expetativa e o desejo é algo que me mete medo. Tenho medo de me desiludir.
Todos sabemos que não somos nós quem mandamos no destino, e é muito melhor ser surpreendido com algo que não se está
à espera do que pensar que as coisas vão acontecer e acabam por não acontecer.
Em 365 dias que vivemos num ano, 3 ou 4 deles é que ficam na memória para a eternidade.
Ninguém sabe quantas vezes é que disse "Obrigada por este dia".
A expetativa e o desejo é algo que me intimida.
S…

Rede.

Um dia dei por mim a pensar em quantos amigos podia contar. Alguns deles nunca os vi, porque temos vidas em espaços extremos e não temos tempo para nos vermos todos os dias. São exemplos destas amizades: aquelas que tinha quando mudei de escola e as virtuais, pessoas que nunca vi, mas acredito que são especiais. As amizades a distancia por vezes conseguem ser as mais verdadeiras, visto que só falamos se quisermos. Conseguimos ser mais sinceros. Com um computador ou telemóvel a frente somos capazes de mostrar a nossa verdadeira essência, aquela essência que é escondida pela vergonha na vida real. Depois pensei como é que antigamente as pessoas se conheciam se não andassem na mesma escola (turma), nem no mesmo trabalho… Não existiam telemóveis, mensagens, facebook… Depois de alguma pesquisa fiquei a saber que se conheciam a partir da coragem de conversar. Neste seculo se perguntar a alguém como é que posso conhecer outra pessoa, esse alguém responde-me: arranja o número dele(a). N…

A realidade.

De momento não sei muito bem o que pensar.
De vez em quando vou abaixo com o problema que tenho.
Todos temos problemas, ninguém é totalmente feliz, não sabemos o que andamos aqui a fazer, simplesmente não percebemos porque que existimos e porque que se viemos para este mundo, tínhamos logo de ser a pior espécie.

As pessoas más, desanimadas, invejosas estão por toda a parte. E cada uma de nós é composta por todos estes defeitos.

Já existiram biliões de pessoas neste mundo antes de eu cá aparecer, quem é que trouxe este lado frio e cruel de ser Homem?
Qual é a necessidade de sermos cruéis?
O destino existe? Está traçado? Então porquê que crio tantas duvidas que me fazem sofrer?

Deus existe e acredito que existe, mas custa-me a perceber qual é a necessidade de tanta estupidez...

Eu costumo ser positiva e ignorar o que me faz mal, mas hoje deu-me para questionar esta dor que sinto no coração. Provavelmente não vou chegar a nenhuma conclusão.

Adorava e vou contribuir para a felicidade dos…

A vida vai indo...

Ultimamente todos os títulos se associam a minha vida… Uma simples melodia improvisada no piano me faz pensar …


Vejo filmes, series e fico a ouvir o meu coração e a reflectir no meu destino. Em cada bocadinho que vejo, de uma forma geral, faz-me pensar nas coisas que me acontecem e tenho a dizer que os filmes são muito mais originais. Quem traçou o meu destino, na minha opinião, não foi muito criativo.


Estou a espera de novos capítulos…


De onde veio a ideia que só existe uma pessoa exclusivamente para outra? De onde veio ideia que os sonhos podem ser concretizados? De onde veio a ideia dos finais felizes?


A imaginação acaba por estar sempre a confundir-me. Crio, crio, crio situações na minha cabeça, que depois não acontecem, nem que eu peça muito! E por vezes, penso mesmo em não criar a ver se o destino me surpreende um bocadinho pela positiva…


Já cansa ouvir e responder: A vida vai indo…


Se criaram o conteúdo daquelas perguntas retóricas e tendo em conta que já passaram biliões d…

Sem titulo para mim, ou não.

Eu sou de Luas, começo a pensar que tenho um defeito de fabrico qualquer no campo dos sentimentos e pensamentos que me definem como pessoa.


E com a idade que tenho, tenho a plena noção que estou sempre a errar. Há sempre uns dias em todas as semanas que ando avariada dos pensamentos e acabo por me ir abaixo. Para piorar a situação não o consigo disfarçar apesar de poucas pessoas notarem.


E com as balburdia que vai/ia na minha cabeça (passou-me à umas horas atras) acabei por perceber que nada é como eu penso!


Os meus pensamentos não têm nada a ver com a realidade e isto é um defeito preocupante! Visto que saio todos os dias de casa para aprender coisas novas e as coisas que guardo de relações humanas “interpreto 80% delas de forma errada”… Talvez não seja a única, mas isto tem que se lhe diga! Atenção, as relações humanas em relação a mim, se tiver de fora da situação, acho que já consigo pensar de forma decente (apesar disto ainda não estar 100% provado).


Não sei bem que titulo dar…

Tu e o sonho (:

Andamos na mesma escola desde o ano passado e só reparei em ti quase no final do ano. Andava desnorteada e foste o primeiro rapaz depois de tudo o que me aconteceu, que me despertou algum interesse. Levei algum tempo a contar as minhas amigas que brilhavas nos meus olhos, e a partir do momento que o fiz, pegavam e pegam comigo sempre que passas.


Ao primeiro só pensava em ti, para tentar esquecer o passado que me incomodava. De alguma forma “usei-te”. Com o passar das semanas, deixei de me esforçar para gostar de alguém, mas o meu coração começou a bater quando passava por ti, e deixei de conseguir olhar-te nos olhos. Ficava muito nervosa e não o queria mostrar. Daí ou só te observava de costas, ou caso contrario pela frente desviava o olhar.


O verão veio, então deixei de te ver. O bichinho no meu coração desapareceu.


E cá estamos nós a passar todos os dias um pelo outro.


De ti, só sei o teu nome e a turma que pertences. Não sei onde vives, nem os teus objectivos de vida, não conhe…

Tu? Não consegues.

Todos temos desejos, sonhos, objetivos de vida! E assim, imaginamos o dia de amanhã conquistado! Acreditamos que tudo é possível.

Mas nem sempre somos apoiados! Há sempre alguém que nos critica e deita abaixo!

As pessoas no século que vivemos ainda não têm a consciência de quanto isso pode magoar! Inclusive destruir a autoestima de alguém. Só por sermos pessoas, já somos fracos por natureza, e se recebermos opiniões de baixo nível não ajuda ninguém! Depois perguntam-nos o porquê de já não termos vontade para nada.


Ouvir coisas como: “Tu? Hades conseguir muito!”; “Agarra-te aos livros, isso não te serve para nada!”; “Não tens jeito para nada”…


Para a pessoa que esta a dizer pode não significar nada de mal, mas para quem recebe a mensagem, é capaz de significar muito!


Se a opinião vem de familiares ou amigos, ainda consegue piorar muito mais. É horrível receber criticar, principalmente se não forem construtivas!



É muito difícil subir na vida assim, sem acreditar e receber apoio, não e…

O meu verão!

Este verão desejei que fosse diferente e especial. E assim foi.
Não o queria passar enfiada em casa.

Comecei com grandes espetativas de como ia ocupar o meu tempo e acabei por as cumprir. Fui à praia com os meus grandes amigos de autocarro e também com a minha familia, passeei, acampei, fiz voluntariado e conheci uma realidade diferente do mundo que estou habituada, passei tarde magnificas, fui ao cinema, conheci pessoas novas, fui ver um jogo no relvado do Benfica, assisti a concertos, aprendi a fazer trico, apoiei a seleção, fui a festas de aniversário, e tive o meu próprio aniversário, tive as minhas primeiras aulas de órgão, conduzi uma mota, andei horas de bicicleta, joguei matraquilhos… E aposto que me esqueci de alguma coisa.


Resumindo, este foi um grande Verão. Claro que não foi um mar de rosas, porque os problemas também lá estiveram, mas acabaram por ser superados e vencidos.


Também estive doente, caí, e nas vezes que caí, aleijei-me a serio! Foi um verão em peras, porque…

Desiludida com o mundo.

Ando desiludida, mas desiludida a sério com o mundo. Não me estou a referir as pessoas, mas a vida mesmo.


Cada dia tenho uma atitude nova perante a vida, e a minha hoje é: Mas porquê!?


Todos os dias aparecem na televisão casos de pessoas com doenças, com vidas difíceis, e todas elas acabam por sentir que só vieram ao mundo para sofrer.


E depois existem as pessoas como eu, que claro que também têm os seus problemas, mas não são problemas de vida ou de morte! E acabam por viver um bocado afastadas de todo o terror! Ouvem falar nos casos que passam na televisão, ou dos amigos dos vizinhos dos tios que estão a passar por situações difíceis… Estas pessoas como eu, pensam nestes casos no momento e depois acabam por esquecer.


A situação começa a complicar quando estas situações difíceis são vividas por nos mesmos ou por pessoas muito próximas.


E agora acordei eu, e acordas-te tu, se estas a seguir o meu raciocínio.


E vem o meu: mas porquê!?


Porquê que crianças, têm que sofrer? Pediram…

Explodir!

Explodir! Mandar tudo para cá para fora!


Sabes aquele momento em que uma pessoa te ofende na cara e tu não sabes bem como reagir, por respeito ou como é o meu caso, bloquei-as e guardas para ti? E depois, mais tarde só te dá vontade de partir para a violência contigo mesma(o)? É, eu sou assim.


Não sei o nome deste acontecimento sentimental, só sei que é o meu pior defeito! Guardo para mim tudo o que me dizem e “cresce-me um nó” na garganta que só me dá vontade de chorar! E acabo por chorar, porque eu não sou forte o suficiente para mostrar que não me importo com o que as pessoas dizem!


Depois só fico bem quando "explodo" e mando tudo o que sinto cá para fora! Faço figuras tristes, mas sou assim. É a única maneira de voltar a ficar bem…


Só gostava de explodir na hora e não a seguir, responder na altura! Ter coragem e não bloquear! Quero mudar este aspeto em mim, porque arrependo-me sempre com a minha atitude nestas alturas.


O dia em que uma situação como esta me voltar aco…

Parar e refletir!

Todos os dias temos que parar e refletir o que andamos a fazer.
O ser humano é um animal estupido, tem inteligência mas não a usa adequadamente. Estou a referir-me a ações que nos une como espécie. À forma como nós tratamos, por vezes conseguimos ser muito cruéis.


O primeiro ponto que me quero referir é: Amor que não é correspondido/ Namoro que acabou.


Quando uma pessoa não é correspondida, para mim significa que não era a pessoa ou a altura certa das coisas acontecerem.


Quando um casal acaba, há sempre um dos elementos que é o “prejudicado”, e vai sofrer muito mais.


E é aqui que a estupidez humana aumenta! Sim, para graus elevados! Claro que há exceções, felizmente! Mas existem aquele tipo de seres que gostam de ignorar, gozar, maltratar e criticar as pessoas que mais gostam deles! Aquelas pessoas que fariam tudo para os ver felizes.


O segundo ponto que me quero referir é: Chamar de chato/Não querer saber.


Quando estamos a falar com alguém, mas não estamos minimamente interessados…

Ficar adulta.

Tenho medo de enfrentar os próximos anos.


Não os próximos anos escolares, porque isso significa que não sou totalmente independente. E depois disso? De acabar o meu curso? Sou “uma mulher feita”! Pronta para viver sozinha e reagir como os adultos.


E é aqui que entra o meu medo, a minha ansiedade de não saber bem como me comportar.


Neste tempo que tenho de vida, só me preocupo com a escola, com os meus amigos e preocupo-me também quando os meus pais chegam a casa as camas e o necessário já está feito. E é esta a minha responsabilidade de hoje em dia. Nada de preocupam-te.


E eles? Tem que ter responsabilidade sobre tudo. São independentes.


Visto na perspetiva que a escola passa a ser um emprego, os amigos, passam a ser os amigos e a família que formar, e fazer as tarefas de casa, passa a ser a casa inteira! É tudo a duplicar.


Mas esta não é a pior parte de ficar adulta, a pior parte é saber reagir como uma adulta. Isso sim é complicado. Visto que tenho instinto de criança, resolv…

Musica! *-*

A música é arte. É espectacular porque transmite sensações! Mostra a pureza de viver.

Ensinamentos, verdades, críticas, brincadeiras, diversão, loucura, paz, pensamentos, amor, liberdade, magia…

A música é uma cura para os problemas, porque ajuda e muito a resolve-los.

Quando estou com aos auscultadores nos ouvidos sinto-me num mundo à parte, nos meus pensamentos, fora da realidade… Deixo tudo e sou só eu, sem ninguém, a ouvir e reflectir. A viajar na minha imaginação usando a minha criatividade de uma forma tão calma, sem preconceitos, sem chatices, sem opiniões alheias, sou só eu e o som que me é transmitido.

É uma sensação fantástica! Sem música a vida seria um erro, por isso é que é bom viver!

“A musica é o barulho que pensa!”

Fé!

Eu acredito em Deus e não tenho o mínimo problema em dize-lo.

Sim, tecnicamente nunca o vi em carne e osso, mas pressinto que ele está a olhar por mim!

O argumento mais utilizado por quem diz que não acredita é: Só acredito quando o vir!

Sim, sim, então não! Visto nesta perspetiva também não acreditamos nos sentimentos, afinal, também não os vemos.

Digam o que disseram, toda a gente já “falou” com ele, já pediu qualquer coisa! Toda a gente!

Ao pensar que ele existe, sentimo-nos mais seguros, mais capazes de enfrentar as situações.

Não precisamos de ser praticantes na religião para acreditar, ou para ele nos “ajudar”!

Basta ter fé. O que é ter fé? É acreditar e ter esperança em algo. Estas duas palavras são base para uma melhor sobrevivência na Terra.

Como vivemos num mundo, no meio de universo que dizem não ter fim, vivemos para aqui perdidos, sem saber que rumo de vida seguir, e ainda por cima, somos os únicos seres com o mínimo de inteligência… E viemos dos nossos papás. Foram …

Aquele amor!

Dizem que cada pessoa, tem uma pessoa destinada para si. E essa pessoa é que é o amor verdadeiro. Aquele que todas as raparigas na adolescência pensam encontrar o rapaz perfeito, o rapaz certo. Eu penso muito nisto. Há um ano e meio atrás pensei ter encontrado mas estava enganada. Ainda não perdi a esperança que me apareça alguém.

Sou o tipo de pessoa que adora imaginar situações novas, e no que conta a este tema, todas as noites acontece-me. Dizem que as coisas nunca acontecem como imaginamos, por isso, espero que seja muito melhor do que imagino!

Gostaria que aparece-se do nada e que eu nem me desse conta que era o rapaz certo, que tudo acontecesse naturalmente sem qualquer esforço...

Não importa o aspeto, as pessoas mais bonitas na sua maioria, são as que tem mais porcaria dentro daquilo que dizem ser o cérebro. O que conta são as atitudes sinceras, as palavras únicas, e olhar e o sorriso.

O amor existe, e todos temos direito a ter alguém.

A amizade aos meus olhos :)

A amizade é uma verdadeira colheita de felicidade.
Já tive momentos na vida que achava que não tinha amigos, que ninguém se importava minimamente com a minha existência e não passava de mais uma a pertencer a lista do registo civil. Achava que amizade para mim não existia, as pessoas só vinham ter comigo com interesse de ter algo em troca, ou então que era só gente que sorrisos pela frente. Acabei por descobrir que o problema também era meu. Ficava à espera que viessem falar comigo, e quando vinham? Mal falava. Não mostrava interesse, mesmo que fosse aquilo que eu mais quisesse, a vergonha ganhava sempre. Claro que também tinha o meu grupo de amigos querido na escola, mas continuava a mesmo “totó”, se me “atacassem” não reagia. Passei momentos horríveis. Por vezes, estes momentos ainda se refletem na minha vida.  Também tinha outro problema, eu tinha/tenho [ando a tenter corrigir este erro] a mania que me posso dar com toda a gente. Mesmo que essa pessoa seja a mais falsa do planeta. Não…

Escrever ☚

Só consigo escrever quando acredito verdadeiramente no que relato. Existem milhares de temas para ser abordados, mas só os consigo abordar, se no dia que tive passaram muito tempo no meu pensamento. E hoje pensei nisto, apetece-me escrever, mas não tenho tema que puxe por mim! Para estar aqui a enrolar e não ser concreta na mensagem que quero passar, mais vale estar quieta. Não sei se é estranho, mas eu sou assim. Tentar escrever sem sentir, é como tentar dormir sem sono! Duas a duas, só as consigo fazer se estiverem conjugadas. 

Uma Laranja. Todos Laranjas!

Brincar com as palavras é giro, por isso, aqui vai!Laranja? Pode significar muita coisa, posso estar a falar do fruto ou então a cor em si, e daqui posso partir para o sol, plantas, roupa, calor, amor, vida. 
A cor laranja significa energia, alegria, felicidade, atração e criatividade! Palavras que cativam qualquer pessoa e dá vontade de as transcender para o seu quotidiano. 
Uma pessoa não tem uma boa vida se não tiver presente em si, estas pequenas palavras que “dão origem à cor Laranja”. [Não sei se me faço intender, mas espero que sim!] Precisamos de praticar o significado da cor Laranja! Acreditar que mesmo com todos os problemas que aparecem, se temos capacidade para ver a cor laranja quando abrimos os olhos, temos a capacidade de chegar ao seu significado! 
Por isso, eu e tu que estás a ler isto, vamos ser Laranjas!

Não é fácil suportar a falta ...

Muito me pergunto o porquê de tantos problemas. Porquê que as pessoas gostam de por fim a tudo? Porquê que existe o dilema do ‘ou tudo ou nada’? Tenho-me questionado com isto muitas vezes. Há pessoas que entram na minha vida e eu apego-me de tal forma a elas que não consigo deixar que elas desapareçam. Já me disseram que é mesmo assim, que custa, mas que é a única forma de crescermos, entrar e sair gente de forma espontânea. Peço desculpa mas não me conformo com a ideia! Porquê que tem que deixar de existir? Já ando a pensar neste assunto há semanas. Quando é uma pessoa que com o tempo que se deixa de conviver os laços perdem-se. É algo natural, mas também se podem voltar a construir. Agora, quando de um momento para o outro, aquele que considero amigo se afasta sem explicar a razão, aí fico à nora! Não é fácil suportar a falta de alguém com quem já partilhei momentos fantásticos e únicos, que me ficaram na memória para sempre. Eu vou tentar recuperar as pessoas que fui perdendo. Este …

O Amor é assim.

O amor é sonhar acordado
num mundo onde reina a alegria
num lugar isolado
que não se faz num só dia.


O amor é fazer o sol nascer
graças ao teu sorriso
é amadurecer
sem qualquer aviso.



É como vivêssemos só para aprender
que o amor as vezes pode doer.


Um poema por: Catarina Silva & Juliana Rodrigues , para disciplina: Português 10º ano.

Imperfeição

Imperfeição é comum.  Será que a podemos julgar?

É inevitável, todos os dias criticamos a imperfeição dos outros e não olhamos para nós próprios. “Eu é que tenho a razão, e a culpa é dele(a)!” Não vale apena andar aqui com coisas, todas as pessoas já disseram isto. É muito mais fácil deitar a culpa aos outros, assim ficamos com a consciência limpa.

A imperfeição ou a personalidade de cada um, não se nasce com ela. Ao longo dos anos lida-se com situações que deixam marcas para sempre. Muitas das situações já não estão bem presentes na memória, no entanto definem-nos enquanto pessoas.

Um pequeno exemplo: Se uma criança cresce na selva sem ter qualquer contacto com seres da sua raça e os únicos seres que via eram macacos. Verdade vos digo que também saberia andar de liana em liana e comportava-se exatamente como eles.

Para mim as imperfeições são criadas da mesma forma, ninguém é santo e também ninguém vive num paraíso. Cada um age da forma que acha que está correta, mais tarde provavelmen…

Tristeza x Felicidade .

Este ano com tanta coisa que tem acontecido, percebi que só nos dá vontade de escrever quando estamos tristes. É uma espécie de desabafo com o papel. E quando chegamos ao final no texto ganhamos vontade de voltar a viver.
Mesmo quando estamos a falar com alguém. É mais fácil ter uma conversa longa sobre tristeza do que felicidade. E assim, parece que a felicidade não é importante. Os seres humanos são assim, têm a ideia que temos de ajudar a suportar a tristeza de uma pessoa. Tenho a certeza que se a pessoa estiver triste, vai aprender alguma coisa. A tristeza é um grande manual da vida. Mas se essa pessoa estiver feliz, simplesmente não querem saber. Da que pensar?
Vou tentar mudar isto. A felicidade é a base de tudo. Todos os Homens são pessimistas de alguma forma. Mas a vida são 2 dias. E amanhã é o segundo. Por isso, é sorrir, fazer alguém feliz, ser feliz com a felicidade dessa pessoa e com o que o destino proporcionar.
Estar aliado à tristeza ou ganhar uma grande amizade com a fel…

Atitudes ✖

Por vezes chego a conclusão que não me conheço realmente. Não sei o que sou capaz. Tenho uma maneira diferente de estar independentemente da pessoa em questão. Com uma falo mais, ou falo menos. Sou sincera ou fico pela ironia. Só sou verdadeiramente eu com as pessoas mais chegadas e se não estiver de mau humor. A mim faz-me confusão determinadas atitudes. Exemplos? - Desprezar alguém. - Achar que é melhor que os outros. - Criticar sem conhecer. - Quer mal aos outros. São atitudes que eu penso que não são normais. E depois também não sei reagir a elas. E é a aí que eu não me conheço. Desprezar alguém. Ninguém tem o direito de agir assim. Deve-se achar muito importante. Quando sofrer na pele isso vai acabar por aprender. Nestes momentos não sei como agir, por achar que a pessoa foi tão importante para mim no passado, fico com medo de ser eu a desiludi-la. Agora, aprendi que “amor com amor se paga”. Acharem-se melhores que os outros. Aqui sei como reagir, ninguém é melhor que ninguém. Não passa…

Pai, é para ti ✔

Posso dizer que tenho um pai diferente. Um pai único e especial. Super reservado para si e cansado de me aturar, não quer admitir, mas adora-me. Trato-o por tu e nunca pensei trata-lo de outra maneira. Já lhe disse que você é para velhos. Nós temos uma relação muito especial. Ambos adoramos brincar juntos, desde sempre que me lembro de aprender as melhores técnicas de karaté, sem precisar de aulas pagas. Andamos sempre a porrada um com o outro. Acabamos a maioria das vezes a rir. Assim somos felizes. Também desde sempre que adoro chateá-lo, claro que consigo calçar meias, mas simplesmente só para lhe dar trabalho, peço-lhe. Ele diz que quando me casar também vou chama-lo lá a casa para calçar as meias. E depois vem ele com as dele, para eu as calçar. Quando está chateado, ninguém o atura, aí sei que me devo afastar, ou então dar um grande abraço. As vezes quando me faz o favor de carregar o telemóvel, vem ter comigo e diz: “ Quem é amigo? Quem é? Eu: “És tu!” Ele baixa-se, já sei que quer…

Sinto-me bem ✿

A vontade de acordar com um sorriso na cara voltou. 
Sinto-me “eu” novamente. O “eu” que só se importa com as pessoas que merecem. 
O “eu” que se deita e pensa que aquele dia não podia ter corrido melhor. 
O “eu” que só se sabe rir das palermices da prima mais pequena. 
O “eu” que se sente em paz com o mundo. 
O “eu” que aprendeu a lidar com os problemas de outra forma. O meu verdadeiro “eu”, sem tirar nem por. E é a minha prima pequena que não vou referir o nome, que sem dar conselhos ou palavras carinhosas ensinou-me que o que importa nesta vida é ser feliz. Já tinha percebido a 2 semanas que ela me faz bem. 
Mas hoje completei a “teoria”, ela tem alegria no rosto. E é capaz de contagiar qualquer um com a sua simplicidade de criança, que só se quer rir e gozar comigo. Na verdade é capaz de bater a meio mundo, só para vir à avó brincar com as primas. Com aquelas brincadeiras, que não posso dizer nada, que ela ri-se como se fosse a maior piada do mundo, ela ensinou-me, sem ter noção do que e…

Um desabafo ☮

Por vezes tento convencer-me que o coração não manda e que é o cérebro que controla. Mas o coração consegue ser muito mais forte. E hoje cheguei a conclusão que não vou andar atrás de uma pessoa que simplesmente se “esqueceu” de tudo o que passamos e não se importa minimamente como estou. Custa-me dizer isto. Já ouvi todas as versões possíveis sobre o assunto. Já fui criticada. Já tentei voltar atrás. Já ouvi que era melhor esquecer-te e que eu para ti não vali nada! Que só me usaste e agora deitaste ao lixo! Eu não queria acreditar. E passei semanas a pensar nisto. Não sabia para onde me virar. Farta de ouvir vozinhas a dar as suas opiniões e a estragar os meus dias preciosos, em que podia ter aproveitado as horas e não o fiz, por estar sempre a pensar no mesmo. O coração dizia-me que tinha que voltar a tentar. Mas uma coisa eu tinha a certeza. Sentir que és a “luz do meu dia” nunca mais ia acontecer. Porém nunca deixaste, nem vais deixar de ser importante! Nas últimas semanas tentei …