Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Ano Novo - Acabou a Preguiça ! #retratodoproximoano

Imagem retirada: Imagens Google. 
Qual é o teu? :)

50 factos sobre mim em 2014

Olá, o ano passado por esta altura, escrevi 50 coisas sobre mim em 2013, este ano mais 50, iguais ou não, não sei. Tenho a dizer que está a ser complicado, porque vivi tantas experiências estes últimos 3 meses que acabei por me esquecer o resto dos outros 9 meses e tenho a minha vizinha a cantar bailando, a vida não é fácil. 
1.Tentei perder o vicio de lavar o cabelo todos os dias, mas ainda não estou completamente curada.  2. Com este Verão, foi o ano que mais escrevi cá. 3. Sou uma perita em transportes públicos. 4. Entrei na universidade, nada que soubessem. 5. Percebi que sei tomar conta de mim. 6. Lavo a loiça e faço a cama todos os dias. Passo para adulta, feito. 7. Bebo alcool quando saio e sei o meu limite. (Este foi o primeiro ano que "comecei" a sair a noite).  8. Deixei de ter medo do inesperado. 9. Decidi que não ia voltar a sentir-me apaixonada e fazer figura de estúpida por não saber lidar com os meus sentimentos.  10. Lido bem com o facto de estar a viver dur…

Passado do Presente

Sempre que escrevo aqui, leio o texto mil vezes depois do publicar, encontro os erros e reflito sobre a minha opinião. Ontem escrevi sobre o meu passado no Natal, sobre a magoa que já senti e que coloquei na minha cabeça que será sempre assim. Dei a entender que vou estar sempre de pé atrás e que estes dias não serão mais que dias tristes para mim. Todos os anos me lamento do mesmo, é o que tenho feito. É como se num determinado dia me doesse a barriga e todos os anos me lembrasse nesse dia, acabando por tomar um comprimido para não sofrer. Com o crescimento pessoal percebi que não tenho guardar magoa das pessoas quanto mais de épocas do destino. Momentos de crescimento é o que posso dizer. Dei por mim a pensar que hoje, deixando o ontem para trás, até gosto disto. As crianças radiantes com a esperança da chegada do Pai Natal. Os mais velhos a preparar a preparar a ceia. A demonstração dos dotes culinários das pessoas. Agradecimento por mais um ano. O calor do carinho nos diálogos, &…

Papel Dourado

Natal, papel dourado do ano, a ideia de terminar em bom. Luzes, efeitos, muita alegria e amor. É o que desejamos sem sentir, a tradição, o hábito do final do ano. Não sei onde me encaixo. Não sei se gosto, se não gosto, pouco sinto é o que posso dizer. A partir dos acontecimentos vividos Dezembro é o mês que tenho medo da morte, o tempo em que alguns dos meus familiares mais próximos partiram. É a época que me marca a saudade de os ver e partilhar sorrisos. Desde a morte do meu avô criei a ideia em mim que o Natal não fazia sentido. É só mais um jantar que esperamos pela noite juntos a volta da mesa. Bacalhau, batatas cozidas, calor da lareira e minutos a passar. A falta de união por desentendimentos adultos levaram-me acreditar que só nos "juntamos" pela tradição, o carinho, o verdadeiro sentido não aparece. Nos momentos de conversa com os amigos, pouco opino, não quero estragar o momento de alegria nas palavras deles. Contudo, mesmo com este sentimento do pouco sinto, ten…

Maquina de escrever silêncios.

Apaixonar-me pelas palavras, sentir o que elas dizem torna-se difícil numa vida atarefada. Escrever ao observar o outro torna-se inevitável, opinar sobre aquilo que não tem opinião. Ao deitar as ideias surgem, ao acordar deixam de fazer sentido, o que senti ontem, já não sinto hoje. A mente é pouco prestável a imaginação duradoura. Quero quero quero e não consigo concentrar o meu consciente ao ato. Vivi experiências este ano que está a terminar e quero dedicar o resto dele ó que mais me marcou e ajudou a perceber os meus princípios e valores. O meu pequeno espaço, o meu blogue. Concentrar o meu coração as palavras é o que quero atarefar à minha vida, é o que me vou dedicar. Até já.

Tag: 25 perguntas aleatórias

1. Não podes sair de casa sem?
Atualmente, chaves, telemóvel e guarda chuva.

2. Marca de maquilhagem favorita nacional e internacional?
Não tenho.


3. Qual é a tua flor favorita? Tulipa. 
4. Loja de roupa favorita?  Bershka, Pull and Bear, ...
5: Perfume favorito?

Cheiro do gele de banho serve.
6: Saltos ou sapatilhas?

Gosto de saltos confortáveis, mas ando muito mais de sapatilhas. 
7: Cor favorita?

Azul. 
8: Bebes bebidas energéticas?

Muito raramente bebo café. 
9: Qual teu hidratante favorito?
Nivea 


10: Pretendes te casar?
Sim, gostava de formar uma família. 


11: Irritaste facilmente? Só na maré de hormonas a interferir com o meu sistema. 
12: Róis unhas?

Não, agora como o curso nem as pintar posso. 
13: Já tiveste perto da morte?

Já fiz algumas cirurgias mas nunca tive em risco de morrer. 
14: Onde estavas à 3 horas a trás?

A tentar estudar EOSS. 
15: Estas apaixonada?

Nem pouco mais ou menos. 
16: Qual foi a ultima vez foste ao shopping?

Se o jumbo da minha nova terra contar, foi na quinta. 
17: Assististe algu…

Um mês na universidade.

A experiencia está a ser incrível. Oficialmente a cerca de 2, 3 semanas, consegui um quarto partilhado. Deixei de acordar as 5 e meia da manhã para acordar as 8h. A vida não é linda? Quando lá cheguei senti-me num mundo a parte. A casa vazia, nada era meu e eu só me tinha a mim. A ideia de partilhar quarto não me assustava. A única coisa que me assustava era ser arrumada todos os dias. Fazer a cama, não deixar as calças no chão para levanta-las no dia seguinte. Ter que fazer a lista de compras se quero comer. Tudo coisas que como menina da casa não pensava que tinha o dever. Por enquanto tem tudo funcionado. Descobri que tenho tempo para tudo e  limpezas dá para conciliar com estudos, diversão e descanso.
 A semana passa a correr, não dá para sentir muita saudade, falo com os meus pais 3, 4 vezes por dia. Adoro faze-lo e vou continuar. Para terem a noção de cozinheira não tenho nada e a primeira vez que fiz massa tinha a minha mãe a dar-me instruções de como a fazer pelo telemóvel. …

O barulho dos cegos.

A minha opinião racional diz que ser cego é a pior doença que se pode ter enquanto cá se habita. A ideia de não puder ver o mundo e as pessoas com quem interajo é assustador. Não saber se estão a sorrir para mim ou a fazer-me caretas ou simplesmente se me deixam a falar sozinha porque não estão a prestar atenção. Toda a ideia que tenho da cegueira é triste.  Entretanto tenho a plena noção que pessoas cegas, não são só cegas. A doença não é a pessoa, a doença é só uma mera característica que a pessoa usufrui  durante a vida terrena.  Hoje conheci um senhor mas ele não me conheceu a mim. No comboio enquanto eu estava aborrecida com a minha vida e a viagem que nunca mais acabava, estava um senhor em pé, acompanhado por uma senhora e um pau auxiliar de adaptação à vida.  Ao agarrar o barão para se segurar as primeiras palavras que ouço da boca dele foram: "Coitado estou a magoar uma pessoa." Chamou-me à atenção, olhei para os olhos dele que sorriam sem lhes ter conseguido ver a…

A minha primeira semana na Universidade.

A vida funciona da seguinte forma: Empurra-te e tu vais. Com algumas reflexões que tenho enquanto olho para o céu chuvoso, só consigo pensar que estou adorar. Vou organizar aqui as ideias por tópicos.


Estou na Universidade de Aveiro (mais concretamente na escola superior  de saúde da universidade de Aveiro ) a estudar Enfermagem.

Mudança de Horários: Achava que acordar sedo era 7h30. Para mim agora acordar as 7h30 é como muita gente dormir até ao meio dia. São 5h30 da manhã e o despertador toca para eu ir acordando que tenho de apanhar um comboio as 6.30h se quero estar na universidade as 9h. Quando digo isto as pessoas que vou conhecendo, elas ficam chocadas, eu própria se me disserem que eu faço isto, nem acredito. Tenho encontrado pessoas que vão também para as suas universidades a mesma hora que eu, que andavam comigo antigamente (até parece que foi a muito tempo, tipo 3 meses) no secundário. Depois de apanhar o primeiro comboio, apanho o segundo e nesse vou na minha hora de sono. …

18 anos.

Eu achava que 2011 tinha sido o ano da minha vida, mal eu sabia que 2014 era o ano da chegada dos meus 18 anos. Sempre a bater com a cabeça o ano em que eu mais cresci como pessoa. Não sei muito bem como é que isto tudo se processou, nasci cresci e olha já sou adulta de idade. Nasci prematura, passei uns dias na incubadora, era um franguinho pequenino que as pessoas acreditam pouco que sobrevivesse. Entretanto engordei e fiquei com umas grandes bochechas no rosto. Dei cabo da cabeça dos meus pais, quando me chateava ficava amuada e dava a mão a outras pessoas na rua (foi só a um velhinho, a minha mãe pode confirmar). Com 4 anos fui para o infantário e tive que fazer um desenho que me identificasse. Como já era bastante criativa na altura foi uma espécie de roda a rodar para dentro como a carapaça de um caracol. Com 6 anos fui parar a uma turma com uma rapariga e o resto rapazes, bons tempos, segundo pessoas que se lembram desta fase da minha vida eu ensinava-lhes muitas coisas. Com 9…

Miúda super feminina.

Olá, houve um empate, por isso escrevi sobre os dois temas votados. Bem, espero que gostem e que haja alguém que se identifique comigo. 
Eu gostava. Gostava de ser uma princesa. Acordar sem olheiras de manhã. Não ter o cabelo cheio de pontas espigadas. Usar sabrinas com uma saia em roda pelo joelho. Ter pele tão macia como um bebe. Usar saltos altos sem um deles ficar preso no chão.  Saber maquilhar-me sem me sentir de plástico. É gostava. Nunca me sujar. Deixar as sapatilhas de parte e não ter dores nos pés. Ter postura quando me sentar e sentir-me confortável ao mesmo tempo. Cruzar um joelho no outro sem me sentir a cair para o lado. Falar com uma mão levantada. Levantar o dedo mindinho quando pegar num copo (espera, isso já faço). Ter um olhar tão sedutor que não pareça que estou com dores de barriga.  A verdade é que sou tão preguiçosa que não tenho paciência para me sentir um modelo a seguir. Desde sempre que me dão menos idade do que aquilo que tenho, porque me visto demasiado …

Espalhar ou ser um túmulo? - Coscuvilhice.

De linguarudo a lábios selados, onde te encontras? Até que ponto é que queres saber da vida que não vives? Vives por ti ou estas de olhos postos no resto da população? ...
Num reflexão geral estou quase sempre à parte da vida dos outros, só sei as coisas se me aparecerem a frente dos olhos nas redes sociais ou cara a cara ou se alguém me disser ao ouvido. Não vivo a querer saber o que estas a fazer agora. Admito que quando me sinto minimamente apaixonada percorro tudo a querer saber da vida da pessoa, verdade ou mentira que também já o fizeste? Estamos num tema de reflexão moral. Nunca conheci ninguém verdadeiramente coscuvilheiro, só nos filmes. Na vida real quase que concluo que isso não existe... Depois começo a refletir e percebo que conheço uma pessoa ou duas. Pessoas que querem saber da vida alheia e comentam como se fossem uma pessoas perfeitas. Pessoas que falam contigo na paz e depois vão ter com outras pessoas comentar aquilo que descobriram sobre ti e não te disseram. Aque…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras

Liebster Award

Olá! acabei de descobrir que fui nomeada para este passatempo. ObrigadaMode Dream! Aqui deixo o selo:

As regras são:
1-Colocar o prémio (imagem) no teu blog;
2- Tens de responder ás 11 questões que o blogger que te nomeou colocou;3- Tens de nomear entre 4 a 11 blogs com menos de 200 seguidores e dar-lhes 11 questões da tua autoria;4-Não podes nomear o blogger que te nomeou;5- Tens de informar o blogger que te nomeou da nomeação e fornecer-lhe o link para ver todos os detalhes;6- Caso aceites o Liebster Award, comenta no blog que te nomeou para o blogger poder ver as respostas ás questões; 

Perguntas e Respostas: 
1. Porquê que criaste o blog? 
 Criei o blogue para poder desabafar um pouco da minha vida. 
2. Qual é a injustiça que mais te choca nos dias de hoje?
 Falta de melhores condições de vida para as pessoas. 
3. Um sonho?
 Andar de avioneta. 
4. Qual é o teu local de sonho?
Cabo-Verde.
5. Quem é o teu ídolo? 
 Talvez a Sílvia Rizzo, pela sua maneira de ser. 
6. Se pudesses mudar algo no mundo…

Sexta à noite #5 - Especial: 100 publicações !

' Vou pedir ao tempo, que me dê mais tempo, para olhar para ti ' 


Sinto-me particularmente satisfeita. Cheguei finalmente às 100 publicações. 100 momentos partilhados convosco, pessoas que conheço e desconheço.  Já disse que nunca gostei de Português? Se vissem as folhas das minhas notas finais da primária... Dizia  que dava muitos erros e que lia muito mal. Afastei-me totalmente da língua. Para terem uma noção a minha primeira negativa a serio foi num intermédio de Português no 6º ano e tirei 2 (de 1 a 5) no exame de Português do 9º ano. Fui para o secundário a pensar "Catarina estuda português em vez das especificas"ou então vais ficar aqui a fazer a disciplina, mas passei e bem passada.  Comecei este blogue com um desgosto amoroso. Fui a típica adolescente que usou este canto para desabafar a tristeza que tinha e publicar no Facebook para todos lerem. Entretanto cresci, tornei-me insensível à paixão e comecei a usar este meu pequeno espaço para textos de opinião …

Tag: Culpada ou Inocente?

Olá, para me distrair um pouco e a vocês também, vou responder a esta Tag, podem ser juízes comigo se quiserem.  Regras: - Só se pode responder Culpada (Sim) ou Inocente (Não). - Não é permitido responder mais nada, apenas se alguém perguntar.

1. Já pediste alguém em casamento? Culpada.
2. Já beijaste algum dos teus amigos do Facebook? Culpada. 
3. Já dançaste alguma vez em cima de uma mesa de um bar? Inocente.
4. Alguma vez disseste uma mentira? Culpada.
5. Tiveste sentimentos por alguém que não conseguiste recuperar? Culpada.
6. Beijaste uma foto? Inocente.
7. Já dormiste até as 5 da tarde? Inocente.
8. Adormeceste no trabalho/escola? Culpada.
9. Já agarraste numa cobra? Inocente.
10. Foste expulsa da escola? Inocente.
11. Assaltaste uma tenda? Inocente.
12. Já fizeste alguma coisa que te arrependesses? Culpada.
13. Já tocaste num copo gelado com a língua? Inocente.
14. Beijaste na chuva? Culpada.
15. Já te sentaste num telhado? Inocente. 
16. Beijaste quem não devias? Inocente.
17.…

Carro de sonho.

Se for responder exactamente ao titulo do tema não tinha texto, não existem palavras da minha parte para  para descrever o carro da minha imaginação. Posso simplesmente dizer que precisa de ter asas, mas assim é um avião e não um carrão (bom trocadilho, não foi?). Por influências familiares, o carro dos meus sonhos é do género de um Smart ou Mini Cooper. Para ser sincera, acho que vou desiludir a pessoa que votou neste tema, porque eu não tenho um modelo em concreto. Por experiência de vida só te posso dizer que tem que ser azul ou verde claro para eu não o perder no meio do parque de estacionamento do shopping. Tem que ser pequeno e fofinho. Já agora podia falar comigo e fazer batidos. Quero faça o menos barulho e poluição possível. Quando me apaixonar por um venho aqui contar. Como vês eu sou uma pessoa que percebe imenso de carros e com gostos muito próprios. 
Muito obrigada a quem votou e desculpem não ter dito nada com muito jeito.

Os meus dias em 2009 #3

18 de Maio 2009

Olá! Já não escrevia à muito tempo! Sabes porquê? Os meus (pais) andaram arrumar a casa e mexeram em ti e eu não sabia onde estavas, mas hoje encontrei-te. 
# Sim cara sociedade eu falo com objetos. #
Aconteceu muita coisa na minha vida até agora. No outro dia zanguei-me com os meus pais e disse-lhes muitas coisas más. Mas no fim ficou tudo bem! No próximo domingo vou à comunhão solene da minha prima... Amanhã tenho teste de FQ. A ... ainda gosta do ... e eu não sei! Que nervos!  AFINAL O QUE É O AMOR? Se pudesses responder, mas pronto. Até amanhã, beijinhos.
#Cara Catarina, cresce, 5 anos depois de teres escrito isto ainda continuas na ignorância em relação ao que é o amor. #
Assim termina esta pequena brincadeira dos meus dias em 2009. Talvez faça a edição dos meus dias em 2010. Espero que tenham gostado e obrigada por terem sorrido um bocadinho. Beijinhos.

Retrato da semana #1

Uma imagem da semana só as terças feiras. Obrigada Juliana Pereira, a tua ajuda foi otima.

Sorriso no coração.

Gosto de sorrir. Expressar o maior sorriso sem medos, sem angustias.Não acontece todo o dia, não me conquisto facilmente pelas coisas. Demoro a integrar-me com os seres da mesma espécie do que eu. Sou de poucas falas enquanto não sorrio a sério.Adoro quando me dou totalmente ao dialogo com as pessoas sem perceber. Distingo as pessoas pelo sorriso que me criam no coração no momento que falo com elas. É bom interagir, é bom sorrir.

Emprego de sonho.

'O que é que queres ser quando fores grande?' Aposto que já respondeste a esta pergunta. Eu sempre soube o que queria ser. Queria ser médica. Queria curar as pessoas como algumas pessoas já tinham feito comigo. Não me lembro de brincar aos médicos, brinquei às casinhas, às senhoras das caixas do supermercado, às cabeleireiras. Construía-a cidades com peças da Lego. E amava brincar aos jardim zoológicos e aos dinossauros. Tudo mundos que agora estão um pouco afastados de mim. Com aquelas brincadeiras percebi que gostava, mas não admirava.   Quando penso no que quero fazer da vida só me imagino num hospital a melhorar no que puder a vida das pessoas. Imagino-me na África a salvar vidas daquelas epidemias. Tipo super mulher versão uso de medicamentos. Estou quase a concretizar esse objetivo. Não como médica, mas como enfermeira. Se um dia tiver oportunidade de seguir medicina com certeza que o farei.  Por isso é isto, quero ajudar, quero contribuir para a estabilidade das pessoa…

Sexta à noite #4 - Desafio desenhar Pokemon

Olá, como é que estão? É sexta e já algum tempo que não atualizava esta rubrica. Hoje trago um desafio proposto por mim a mim própria, claro. Quero desafiar toda a gente a tentar pelo menos uma vez. Vi no canal LubaTv no youtube, passem por lá: https://www.youtube.com/watch?v=HYxfDTS6PmE&list=UUYALxwppPJjYyTMEwwEcNCQ Consiste em desenhar em 45 segundos cada pokemon. Vou deixar aqui a minha aventura. Tentem aqui: http://www.pokedraw.net/





























 Tudo muito parecido, ficaram maravilhosos, o ultimo então, fenomenal. Até à próxima. Beijinhos.









Guardar um segredo.

Olá, tivemos um empate, por isso decidi escrever sobre os dois temas votados.


Desde cedo tive situações na minha vida que me levaram a salvaguardar-me, principalmente no que tocava ao meu corpo. As crianças da minha idade faziam-me perguntas sobre o porquê de ter aquele risco no braço e eu comecei a mante-lo em segredo. Tapava o mais que podia, cruzava os braços, punha pulseiras, tudo para não voltar a ouvir aquelas perguntas que me faziam sentir diferente. E hoje em dia, sem pensar, continuo a fazer o mesmo, já é instintivo mas importo-me muito menos. Um segredo é isso, algo que incomoda e não queremos que as pessoas saibam, porque nos envergonha ou faz-nos sentir mal. A quem é que os conto? A quem me faz sentir que não se importa. Eu aprendi a guardar os meus segredos e depois a guardar o dos outros. Ser uma pessoa confiável é difícil. Eu para confiar numa pessoa demoro tempos de vida, ela tem que mostrar que é capaz e para isso eu tenho que conhece-la perfeitamente. Saber o bom e o…

Insegurança (2)

Já cheguei a escrever sobre este tema, vejam também:  http://o-segredo-do-pensamento.blogspot.pt/2013/01/inseguranca.html (falo sobre a insegurança que sentia em aproximar-me do rapaz que me sentia atraída na altura). 
Já te sentiste assim. Raramente te sentes confortável até. É por isso que contas pelos dedos o numero de pessoas que são tuas amigas. O numero de pessoas que te sentes realmente seguro. Somos inseguros por natureza e quando nos sentimos desconfortáveis podemos fugir, amuar, ou simples gritar para esconder o desconforto. Somos difíceis.  Complicamos tudo. "Quem me dera que isto me acontecesse" Frase típica do adulto e do adolescente que tem receio em avançar.   Só existe uma cura para insegurança, não se compra nas farmácias. A atitude e a coragem ajuda, mas o que realmente cura é a falta de pensamento. Os loucos são os mais felizes. Pensar menos leva a relaxar e avançar. 
Muito muito obrigada a quem votou (: 
Enquanto escrevia ouvi: The Smashing Pumpkins Imagem: T…

Rebuçados à Solidão

A solidão do outro lado da parede dói, mas a que tu vês pelos teus próprios olhos dói ainda mais. Sabes que não podes mudar isso, porque não te compete. Pergunta-te , mas não te martirize, porque não te compete, compete ao destino. É o que deves pensar. Ou então és como eu e martirizas-te a pensar nas relações humanas e o quanto desejavas ter nascido numa melhor realidade. Nasces, não escolhes o conjunto de pessoas que te vão rodear daí para a frente. És pequenina e tens a sorte de teres um cabelo que dá para fazer tranças em que as pessoas te acarinham. Não as escolheste mas elas gostam de ti. Dão-te balões e rebuçados. Tens alguém que olhe por ti, que veja o mundo à tua frente, para ter a certeza que não te acontece nada de mal. Entretanto cresces. Começas a caminhar por ti. Vês o mundo sem ter ninguém que te proteja. Começas a perceber que aquela realidade que temias, a realidade da solidão e do abandono existe. Aquele velhinho da tua rua que tu achavas esquisito falar contigo sem…

Tag: 50 perguntas aleatórias sobre mim.

Olá, não tenho feito nada produtivo. Estou legalmente de férias. Vim aqui responder a umas perguntas que ninguém me perguntou. Espero que gostem e se identifiquem.


1. Onde estavas à 3 horas atrás?
No meu sofá.

2. O nome da pessoa que estás apaixonada?
Ninguém.

3. Já comeste um lápis de cera?
Porque não? Não.

4. Perto de ti há alguma coisa rosa?
Sim, uma saca.

5. Qual foi a ultima vez que foste a um shopping?
No dia que fui ao cinema, ver a culpa é das estrelas.

6. Estás a usar meias agora?
Não.

7. A tua família tem um carro que valha mais de 2000 euros?
Sim, acho que sim.

8. Qual foi a ultima vez que foste para fora da cidade?
No domingo, fui a Aveiro e ao Porto.

9. Foste ao cinema nos últimos 5 dias?
Não.

10. És bonita?
Há dias que acho que sim, dias que acho que não..

11. Ultima coisa que bebeste?
Iogurte.

12. O que é que estas a vestir agora?
Roupa interior, calças e camisola.

13. Lavas o teu carro ou vais a uma bomba?
O meu pai trata disso.

14. Ultima comida que comeste?
Torradas. Acabaram de p…

Curvas de decisões!

Em determinadas ocasiões da minha vida o meu cérebro faz paragens mentais de elevado grau. Quero com isto dizer que enquanto luto pelos meus objectivos tenho garra, se os concretizar fico com um: "Ok". Mas Catarina esforça-te para ficar contente, conseguiste o que lutaste durante 3 anos. Sim consegui mas ok, responde o meu querido e simpático motor que me proporciona estas situações. É, o meu cérebro é adorável. Quando recebi as notas da primeira fase de exames senti a sensação de dever cumprido, mas não senti a vontade de saltar de alegria. Estava com problemas na altura, e não me consegui abstrair deles para sorrir. Mas tarde percebi que era mesmo verdade e comecei a sorrir.  Ainda não contei, mudei em parte de ideias. Passei a maior parte do ano a dizer que ía para Reabilitação Psicomotora, porque não tinha pré-requisitos, era um curso que poucas pessoas conheciam, ficava longe de casa, só vantagens não é? Não, não é.  Ficar entre Lisboa e Évora, ía levar grande custos …

Cela Cerebral

Acordas e o mundo é teu. Podes levantar-te e tocar na campainha do vizinho do lado e convida-lo para tomar o pequeno almoço contigo. Podes ir correr de pijama, mas há uma regra que diz que não, não é? Pois é, mas continuas com a oportunidade de sair de entre as paredes que estas habituado.  Fechados num globo é verdade contudo alguns de nós já respiram fora dele. E tu continuas aí a criar limitações com base no medo e na preguiça de inovar a sociedade. És tão livre que a primeira coisa que pensas antes de agir é o medo. Não tens medo do que pode acontecer, tens é o medo de tu próprio não seres capaz de corresponder as expectativas que sonhas todos os dias antes de adormecer. É para isso que serve os sonhos, para te imaginares a viver a situação, porque sabes que nunca vais ser capaz, visto que a preguiça e falta de coragem fala mais alto. A insegurança é maior que tu. Tens que conviver contigo toda a tua vida, exiges liberdade perante os outros, mas não te libertas.  Quanto mais esta…

O que me deixa furiosa...

Uma pessoa furiosa para mim é uma pessoa que parte para a violência. Eu não parto para a violência com ninguém... Socorro que tema difícil.
Mas bem, deixa-me furiosa a caminho de dar "murros" nas mesas quando não consigo resolver problemas que me incomodam. Há certas alturas da vida que as pessoas chocam umas com as outras ou não se aceitam como são. Acontece-me muitas vezes, não me aceitar como sou, o meu extremo de raiva pode aparecer.
Deita lixo para o chão à minha frente e eu vou contar até 23 para não gritar contigo.
Se passar na televisão guerras vou ficar a resmungar durante 10 minutos. Em pleno seculo XXI não percebo o porquê de ainda existir guerras civis.
Deixa-me muito furiosa quando só passado horas do teste ou exame me vem à mente a resolução do exercício.
Por ultimo, mas não menos importante, ou não, fico furiosa quando as pessoas criam problemas para se desculpar das suas responsabilidades.

Obrigada à pessoa que votou :)

Vou contar uma história à professora de Português.

Neste momento encontro-me a arrumar os meus cadernos e livros de todos estes 12 anos escolares. Encontrei uma "composição" que fiz numa aula de Português no 11ºano. E quero muito partilha-la aqui. Estávamos a fazer as auta-avalições de um período qualquer e a professora obrigou-nos a escrever. 
Era uma vez uma menina que queria contar uma história, mas não sabia o que escrever.  A professora escreveu no quadro "Vou contar uma história", mas a menina não tinha ideias. Olhou para o papel... Rasgou 3 folhas, falou com os colegas, no entanto nada lhe parecia realmente interessante.  De repente teve uma ideia: Relatar aquilo que não sabia fazer, pelo menos até ao toque da saída. Quando tocar deixa de relatar. E assim lembrava à professora a sua aula de histórias.  A menina ria-se com o sentido de humor da professora, sempre a dizer para escrever enquanto esta lia as auto-avaliações e descobria que matou a menina e os seus colegas de turma com trabalhos de casa.  Um saco che…

Os meus dias em 2009 #2

Hoje não foi um dia propriamente fácil, foi um dia pensativo que de alguma maneira me fez "crescer", tenho alguns assuntos que estão ocupar o pouco que penso por isso não me sinto capaz de elaborar nada. Nada melhor que me vir maltratar aqui um bocadinho.
De ontem para hoje ganhei mais uma seguidora, obrigada Andreia.

11 De Janeiro de 2009 - Continuação. 

...Na sexta caiu neve! Já não caía à 26 anos em @%! Tava Estava lindo. Foi a 1ª vez que vi a cair. ADOREI.

#Foi só das melhores experiências da minha vida. Estava numa aula de Geografia e saímos todos da sala para ver a neve mais de perto#

No domingo (hoje) foi um dia único. De manhã fui à missa com os meus avós paternos, só que na missa ouve houve uma coisa que me tocou muito, até me fez doer o coração. A minha avó já tei  tem acho 80 e num sei quantos anos (...) Ela nunca andou na escola (...) Ela tinha ido conmaungar comungar  e a igreja tinha escadas  e ela ia cair. Aquilo deu-me um aperto no coração. 

#Os erros ortográfic…