Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

Explodir!

Explodir! Mandar tudo para cá para fora!


Sabes aquele momento em que uma pessoa te ofende na cara e tu não sabes bem como reagir, por respeito ou como é o meu caso, bloquei-as e guardas para ti? E depois, mais tarde só te dá vontade de partir para a violência contigo mesma(o)? É, eu sou assim.


Não sei o nome deste acontecimento sentimental, só sei que é o meu pior defeito! Guardo para mim tudo o que me dizem e “cresce-me um nó” na garganta que só me dá vontade de chorar! E acabo por chorar, porque eu não sou forte o suficiente para mostrar que não me importo com o que as pessoas dizem!


Depois só fico bem quando "explodo" e mando tudo o que sinto cá para fora! Faço figuras tristes, mas sou assim. É a única maneira de voltar a ficar bem…


Só gostava de explodir na hora e não a seguir, responder na altura! Ter coragem e não bloquear! Quero mudar este aspeto em mim, porque arrependo-me sempre com a minha atitude nestas alturas.


O dia em que uma situação como esta me voltar aco…

Parar e refletir!

Todos os dias temos que parar e refletir o que andamos a fazer.
O ser humano é um animal estupido, tem inteligência mas não a usa adequadamente. Estou a referir-me a ações que nos une como espécie. À forma como nós tratamos, por vezes conseguimos ser muito cruéis.


O primeiro ponto que me quero referir é: Amor que não é correspondido/ Namoro que acabou.


Quando uma pessoa não é correspondida, para mim significa que não era a pessoa ou a altura certa das coisas acontecerem.


Quando um casal acaba, há sempre um dos elementos que é o “prejudicado”, e vai sofrer muito mais.


E é aqui que a estupidez humana aumenta! Sim, para graus elevados! Claro que há exceções, felizmente! Mas existem aquele tipo de seres que gostam de ignorar, gozar, maltratar e criticar as pessoas que mais gostam deles! Aquelas pessoas que fariam tudo para os ver felizes.


O segundo ponto que me quero referir é: Chamar de chato/Não querer saber.


Quando estamos a falar com alguém, mas não estamos minimamente interessados…

Ficar adulta.

Tenho medo de enfrentar os próximos anos.


Não os próximos anos escolares, porque isso significa que não sou totalmente independente. E depois disso? De acabar o meu curso? Sou “uma mulher feita”! Pronta para viver sozinha e reagir como os adultos.


E é aqui que entra o meu medo, a minha ansiedade de não saber bem como me comportar.


Neste tempo que tenho de vida, só me preocupo com a escola, com os meus amigos e preocupo-me também quando os meus pais chegam a casa as camas e o necessário já está feito. E é esta a minha responsabilidade de hoje em dia. Nada de preocupam-te.


E eles? Tem que ter responsabilidade sobre tudo. São independentes.


Visto na perspetiva que a escola passa a ser um emprego, os amigos, passam a ser os amigos e a família que formar, e fazer as tarefas de casa, passa a ser a casa inteira! É tudo a duplicar.


Mas esta não é a pior parte de ficar adulta, a pior parte é saber reagir como uma adulta. Isso sim é complicado. Visto que tenho instinto de criança, resolv…

Musica! *-*

A música é arte. É espectacular porque transmite sensações! Mostra a pureza de viver.

Ensinamentos, verdades, críticas, brincadeiras, diversão, loucura, paz, pensamentos, amor, liberdade, magia…

A música é uma cura para os problemas, porque ajuda e muito a resolve-los.

Quando estou com aos auscultadores nos ouvidos sinto-me num mundo à parte, nos meus pensamentos, fora da realidade… Deixo tudo e sou só eu, sem ninguém, a ouvir e reflectir. A viajar na minha imaginação usando a minha criatividade de uma forma tão calma, sem preconceitos, sem chatices, sem opiniões alheias, sou só eu e o som que me é transmitido.

É uma sensação fantástica! Sem música a vida seria um erro, por isso é que é bom viver!

“A musica é o barulho que pensa!”

Fé!

Eu acredito em Deus e não tenho o mínimo problema em dize-lo.

Sim, tecnicamente nunca o vi em carne e osso, mas pressinto que ele está a olhar por mim!

O argumento mais utilizado por quem diz que não acredita é: Só acredito quando o vir!

Sim, sim, então não! Visto nesta perspetiva também não acreditamos nos sentimentos, afinal, também não os vemos.

Digam o que disseram, toda a gente já “falou” com ele, já pediu qualquer coisa! Toda a gente!

Ao pensar que ele existe, sentimo-nos mais seguros, mais capazes de enfrentar as situações.

Não precisamos de ser praticantes na religião para acreditar, ou para ele nos “ajudar”!

Basta ter fé. O que é ter fé? É acreditar e ter esperança em algo. Estas duas palavras são base para uma melhor sobrevivência na Terra.

Como vivemos num mundo, no meio de universo que dizem não ter fim, vivemos para aqui perdidos, sem saber que rumo de vida seguir, e ainda por cima, somos os únicos seres com o mínimo de inteligência… E viemos dos nossos papás. Foram …

Aquele amor!

Dizem que cada pessoa, tem uma pessoa destinada para si. E essa pessoa é que é o amor verdadeiro. Aquele que todas as raparigas na adolescência pensam encontrar o rapaz perfeito, o rapaz certo. Eu penso muito nisto. Há um ano e meio atrás pensei ter encontrado mas estava enganada. Ainda não perdi a esperança que me apareça alguém.

Sou o tipo de pessoa que adora imaginar situações novas, e no que conta a este tema, todas as noites acontece-me. Dizem que as coisas nunca acontecem como imaginamos, por isso, espero que seja muito melhor do que imagino!

Gostaria que aparece-se do nada e que eu nem me desse conta que era o rapaz certo, que tudo acontecesse naturalmente sem qualquer esforço...

Não importa o aspeto, as pessoas mais bonitas na sua maioria, são as que tem mais porcaria dentro daquilo que dizem ser o cérebro. O que conta são as atitudes sinceras, as palavras únicas, e olhar e o sorriso.

O amor existe, e todos temos direito a ter alguém.

A amizade aos meus olhos :)

A amizade é uma verdadeira colheita de felicidade.
Já tive momentos na vida que achava que não tinha amigos, que ninguém se importava minimamente com a minha existência e não passava de mais uma a pertencer a lista do registo civil. Achava que amizade para mim não existia, as pessoas só vinham ter comigo com interesse de ter algo em troca, ou então que era só gente que sorrisos pela frente. Acabei por descobrir que o problema também era meu. Ficava à espera que viessem falar comigo, e quando vinham? Mal falava. Não mostrava interesse, mesmo que fosse aquilo que eu mais quisesse, a vergonha ganhava sempre. Claro que também tinha o meu grupo de amigos querido na escola, mas continuava a mesmo “totó”, se me “atacassem” não reagia. Passei momentos horríveis. Por vezes, estes momentos ainda se refletem na minha vida.  Também tinha outro problema, eu tinha/tenho [ando a tenter corrigir este erro] a mania que me posso dar com toda a gente. Mesmo que essa pessoa seja a mais falsa do planeta. Não…

Escrever ☚

Só consigo escrever quando acredito verdadeiramente no que relato. Existem milhares de temas para ser abordados, mas só os consigo abordar, se no dia que tive passaram muito tempo no meu pensamento. E hoje pensei nisto, apetece-me escrever, mas não tenho tema que puxe por mim! Para estar aqui a enrolar e não ser concreta na mensagem que quero passar, mais vale estar quieta. Não sei se é estranho, mas eu sou assim. Tentar escrever sem sentir, é como tentar dormir sem sono! Duas a duas, só as consigo fazer se estiverem conjugadas.