Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2015

Catarina & o Mundo ' Março

É incrível pensar que Março termina hoje. O mês da mesa, o mês do verbo partir, o mês que percebi que tinha novos amigos, a partir do significado da amizade.O mês que tirei o aparelho. O mês de conhecer o comportamento das pessoas adultas, que até antes não tinha realmente observado. Março, o mês do encontro inesperado com as coisas e horas de choro quer sozinha quer bastante acompanhada. Não me lembro da ultima vez que tive tão sensível como durante grande parte deste dias. Catarina, a Maria Madalena do choro incontrolado. Catarina a menina das mãos de manteiga. Catarina, a miúda que dá conselhos e tem um bom papel como cupido. Catarina, a criança que adormece nas aulas de patologia e na sala de espera do dentista. Um Óscar por ter sobrevivido a isto tudo se faz favor. A parte gira de viver é rir-nos da nossa própria desgraça.  Como diz o meu pai, de tudo que nos acontece, tiramos uma lição, aprendemos algo com o que erramos ou achamos que está certo. Aprendemos com as pessoas a ser…

Novos caminhos, novos episódios.

As circunstâncias moldam-te. Hoje não vês aquele assunto que te inquieta da mesma forma que vias ontem. Simplesmente sabes que aquilo que viveste, não gostaste e ainda te lembras, não queres que se volte a repetir. Se fores como eu dizes, não vás por aí. Episódios repetidos são sem graça. Esta coisa da vida sabe perfeitamente guiar-te, atira-te aos tubarões e agora prova do que és capaz, prova a tua essência. Sabes que por ali pouco resultou, muda de via. Ambos sabemos que razão é chata e desgasta. A perfeição não existe em ti, para quê exigi-la nos outros. Ganhar um conflito não é de todo o  melhor, opta pela paz, pelo amor, pela amizade, pela essência das relações.


Clica aqui para seguires o blogue, obrigada :) 

Palavras com pensamento #1

"O amor não é encontrar alguém com quem se possa viver a sua vida futura, mas sim encontrar alguém com quem não possamos evitar de estar no futuro."

OHANA

Escolhas que faço proporcionam o meu destino, desconfio é que tudo já estava escolhido antes de eu decidir. Chamo-lhe "sentir que é por aí". Perguntam-me frequentemente o porquê de não ter posto a hipótese a vista de estudar perto de casa. Sempre fui do contra e não seguir o caminho que toda a gente ia. Senti que era capaz, que tinha que me por a prova. Viver mais do mesmo quando tinha oportunidade de experiênciar coisas novas? Sair do ninho com ele seguro.  Com o meu crescimento os meus pais deram-me muito na cabeça mas posso dizer que os ensinei a apoiar as minhas decisões, com o choque contrariavam mas sempre consegui mostrar que "era por ali" e eles depois de sentirem que estava em segurança deixavam me voar.   Comecei a voar mas só a pouco tempo percebi que quem me construiu o ninho estava sempre lá para me ajudar. Aprendi a fazer isto e aquilo que anteriormente nunca tinha feito e quando acontecia alguma coisa não programada. Algo que não conseguia controlar…

Tag - Curiosidades

Olá, hoje vim responder a uma Tag com um nome bastante esclarecedor, espero que gostem :) 


1) O que gostas de fazer nas horas vagas? Basicamente deitar-me, dormir, dormir muito, ver vídeos no youtube, escrever e ler blogues. 
2) Qual é o seu programa de televisão favorito? Em tempo de aulas quase não vejo televisão, mas não ando a perder aos domingos o Got Talent Portugal
3) Como cuidas do cabelo, corpo e pele? Ora, tomo banho como qualquer pessoa.
4) Consideras-te vaidosa? Considero-me mais confortável. Mas há dias que sim gosto de ser vaidosa. 
5) Descreve o teu estilo. Sapatilhas, calças de ganga e camisola e casaco. 
6) O que te deixa irritada? Mau ambiente, falta de palavra (mas melhorei deixei de dar tanta importância). 
7) O que te deixa triste? Deixa-me triste quando alguém que já foi muito próximo me ignora de repente. Ou quando o destino me prega umas partidas que não me favorecem. 
8) Um dia inesquecível?  Tenho vários. Os momentos em família com os meus pais, simplesmente os tr…

Ai a inveja.

Intitula-se como "Bullying" o ato de tratar mal, bater, fazer a vida de outra pessoa um inferno para beneficio próprio prejudicando alguém que se coloca como indefeso. E normalmente isto acontece no tempo da adolescência quando as pessoas estão a conhecer-se, não sabem exactamente do que são capazes e estão a criar os seus valores e princípios. A partir dos 18 anos perante a sociedade somos "adultos", meninos e meninas com responsabilidades próprias que não passam de bebés. A partir de uma certa idade é suposto as coisas deixar de acontecer. Com um ano e meio deixei a chupeta, com  onze deixei as bonecas, com dezoito em diante é suposto deixar de ter atitudes de maldade que às crianças pertence. Tenho vindo a reparar que antigamente o "Bullying" era bater para se achar e ficar visto pelos outros como superior. Agora, "Bullying" não passa de uma consequência da inveja de alguém. Aos olhos de alguns és simpático, gostam de ti, fazes um bom trabal…

Retrato da semana #5

Imagem Retirada: Facebook Cifras
Boa semana gente! 

Calma

Vocês também vivem cá, sabem como é que isto funciona. O mundo é realmente complexo. As ideias, comportamentos, tudo que nos revolta é o que nos move para o dia seguinte. Hoje sentes-te mal, amanhã é outro dia. Já viveste tantos outros. Pensar na vingança como prato a seguir tem tudo haver com fazeres sentir a outra pessoa como te fez sentir. Fazer o mesmo que te fez faz-te estar no seu nivel. Controlo mental é complicado. Tens vontade de o prejudicar, mas sabes assim não estas a seguir os teus princípios. Aquela dor de injustiça só ira passar quando perceberes que foi uma passagem na tua vida. Normalmente as pessoas dizem para ter calma, e achamos isso desnecessário porque parece que não têm mais nada relevante para dizer. Mas é a chave. Depois do choro, da raiva, da vontade de partir para a violência, do desabafo com alguém, dorme. Quando acordares, continuas a pensar no comportamento da pessoa e no teu, mas a vida continua e tens que interagir com o resto do mundo. Algo que não co…