Pular para o conteúdo principal

Desiludida com o mundo.








Ando desiludida, mas desiludida a sério com o mundo. Não me estou a referir as pessoas, mas a vida mesmo.


Cada dia tenho uma atitude nova perante a vida, e a minha hoje é: Mas porquê!?


Todos os dias aparecem na televisão casos de pessoas com doenças, com vidas difíceis, e todas elas acabam por sentir que só vieram ao mundo para sofrer.


E depois existem as pessoas como eu, que claro que também têm os seus problemas, mas não são problemas de vida ou de morte! E acabam por viver um bocado afastadas de todo o terror! Ouvem falar nos casos que passam na televisão, ou dos amigos dos vizinhos dos tios que estão a passar por situações difíceis… Estas pessoas como eu, pensam nestes casos no momento e depois acabam por esquecer.


A situação começa a complicar quando estas situações difíceis são vividas por nos mesmos ou por pessoas muito próximas.


E agora acordei eu, e acordas-te tu, se estas a seguir o meu raciocínio.


E vem o meu: mas porquê!?


Porquê que crianças, têm que sofrer? Pediram para vir ao mundo? Comentaram algum crime?


São crianças, meninos e meninas, que têm sorrisos lindos. Crianças com uma vontade de viver, brincar e conhecer incrível. Qual é a necessidade de as fazer sofrer tão pequeninas?


A parte mais pura de toda a vida de um ser humano, é ser criança!


Eu acredito que Deus existe, e é mesmo por acreditar que não percebo porquê que crianças que acabaram de conhecer o mundo têm que sofrer e nem percebem bem o que estão a passar (o que por vezes é bom, porque conseguem ter muita mais força para superar).


Com este texto só quero tocar em 2 pontos. O primeiro é que em vez de andarmos preocupados em andar a comprar sapatilhas novas ou outras futilidades quais queres, devíamos de começar a ficar preocupados em ajudar e a reparar mais o que nos rodeiam. E o segundo ponto é um pedido, não para as pessoas, mas para quem nos pôs aqui, todas as crianças do mundo, todas se exceção, sejam felizes e tenham muita saúde, elas merecem pela pureza de viver.







Comentários

  1. Tudo o que disseste é uma verdade enorme !
    Nós não percebemos o porquê de existir tanta a gente a sofrer, mas certamente há uma explicação, se bem que ninguém merece sofrer, seja por que motivo for. Mas são estas histórias de pessoas que conhecemos ou de pessoas que estão mais próximas de nós que sofreram e que conseguiram vencer, que nos fazem acreditar e ter força nos momentos em que estamos mais em baixo. E naqueles casos em que infelizmente o sofrimento é mais forte e as pessoas acabam por não resistir, nós percebemos que vai haver mais alguém lá em cima a tomar conta de nós e sabemos que se precisarmos de força e de coragem para enfrentar qualquer obstáculo, podemos procurar lá ! A vida é mesmo assim, dura e cruel, mas nós temos que saber tirar o que há de «melhor» em todas as situações !

    Juliana Rodrigues*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras