Pular para o conteúdo principal

Reforma Satisfatória.

Não me imagino com 70 anos, devo ser um pouco mais pequena do que sou agora (dizem que as pessoas mingam), com uns cabelos brancos, a usar todos os dias creme anti rogas. Devo viver num sitio provavelmente diferente numa ilha. De um dia para o outro decidi voltar a esta pequena vila, e rever as minhas origens. Entrei no apartamento que herdei. Um pouco velho, mas com tudo no sitio. O chão um pouco levantado e o pó por todo lado. As telas que pintem em jovem ainda estão no sitio, cheias de cores e criatividade. Andei um pouco mais e encontrei a minha cama.  A cama que sonhava todas as noites em crescer, em atingir um futuro. A cama em que lia todos aqueles livros e escrevia aqueles diários de verão. Procurei, mas não encontrei, onde será que estavam aquelas folhas soltas que escrevia a desabafar? Ninguém sabia, só eu, onde estavam escondidas. Encontrei-as no meio das cassetes do tempo dos réis. E a caixa onde guardava todas as cartas e coisas especiais que fui recebendo? Também lá estavam no meio do pó. Provavelmente sentem-me a ler os meus amores, as minhas aventuras e vi como cresci. Como consegui concretizar os meus objetivos, consegui ajudar as pessoas com a minha profissão que tinha terminado. Provavelmente haveria muita gente para visitar e beber um cházinho de camomila. Ou então como os tempos antigos ir comer uma francesinha. Rever aquelas fotografias do tempo em que me achava horrível, mas afinal tinha o meu lado carinhoso. Depois de tudo relembrado voltava a ilha onde era feliz. Não, provavelmente não vou fazer tricô como as senhoras de agora, ou falar da vida dos outros, provavelmente ainda vou navegar na Internet, ir ao ginásio e fazer muito voluntariado. Se tiver tempo e possibilidade adorava fazer uma viagem pelo mundo. 
Com 70 anos só quero ser feliz com a vida que tive, quero ter jeito para pintar as unhas, quero ter netos e ir aos parques de diversões com eles. 
Quero viver aquelas experiências da lista que nunca tive oportunidade, e estar com a mesma pulseira no pulso para me lembrar do que acabei de escrever. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…