Pular para o conteúdo principal

Lição para crescer.

Só sou um bocadinho lenta a entender as coisas. Eu preciso de dar com a cabeça no chão, porque na parede não serve para eu chegar lá.
Tenho 17 anos de vida e penso eu que sou quase adulta e nem me apercebo de quantas atitudes imaturas tenho.
Nestes últimos dias tenho andado sensível. Coisas de hormonas, ninguém me podia chatear que desatava a resmungar ou enchia-me lágrimas aos olhos. E eu com a minha razão, achava que as pessoas tinham que ter paciência comigo.
Uma pessoa muito importante para mim chateou-se comigo a sério. Acho que nunca ninguém me tratou tão mal na vida. Disse-me tudo que achava de mim, não com as melhores palavras mas com razão.
Fiquei furiosa e ao mesmo tempo muito magoada. Mas precisava de uma coisa assim para acordar. Precisava disto para perceber que não posso pensar só em mim e nas minhas necessidades. Existem pessoas que trabalham para elas e para mim ao mesmo tempo. E eu só penso em futilidades.
Nesta casa, como estudo, passo muito tempo sozinha, e tenho algumas actividades, faço as tarefas só quando me mandam e meia hora depois de me mandarem. Estúpida todos os dias.
Não é por fazer a cama e por a roupa direita de manhã no meu quarto que me vou atrasar para me por pronta. Não é por ajudar a arrumar a cozinha quando está cá a minha mãe que não vou ter tempo para fazer as minhas coisas. Arrumar o copo e não o deixar em cima da mesa. Tirar as sapatilhas do Hall.
Eu sei que é mau, mas até ontem hoje, nunca tinha pensado assim. E pensava eu que não era mimada. Sou tão adulta numas coisas e tão bebé noutras. É claro que também ajudo nesta casa, mas é quando não está cá ninguém. Quando está, pensava eu que alguém faz por mim.
E isto tem que mudar, chega a uma altura que tenho que me educar a mim mesma.
Fiquei magoada mas já me passou. Tenho que tirar proveito das coisas más que me acontecem. E desta vez aprendi uma grande lição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras