Pular para o conteúdo principal

Um mês na universidade.


A experiencia está a ser incrível. Oficialmente a cerca de 2, 3 semanas, consegui um quarto partilhado. Deixei de acordar as 5 e meia da manhã para acordar as 8h. A vida não é linda? Quando lá cheguei senti-me num mundo a parte. A casa vazia, nada era meu e eu só me tinha a mim. A ideia de partilhar quarto não me assustava. A única coisa que me assustava era ser arrumada todos os dias. Fazer a cama, não deixar as calças no chão para levanta-las no dia seguinte. Ter que fazer a lista de compras se quero comer. Tudo coisas que como menina da casa não pensava que tinha o dever. Por enquanto tem tudo funcionado. Descobri que tenho tempo para tudo e  limpezas dá para conciliar com estudos, diversão e descanso.
 A semana passa a correr, não dá para sentir muita saudade, falo com os meus pais 3, 4 vezes por dia. Adoro faze-lo e vou continuar. Para terem a noção de cozinheira não tenho nada e a primeira vez que fiz massa tinha a minha mãe a dar-me instruções de como a fazer pelo telemóvel. Foi divertido, ficou combustível. A tropa manda desenrascar!
Não sinto que apanhei o ritmo. As aulas teóricas são bastante longas e quando é nos auditórios ou estou com uma 'chiquelete' na boca ou adormeço e desligo totalmente. É muita matéria, muita mesmo.  As aulas práticas sou totalmente fã, adoro todas elas. A escola está muito bem equipada, não me posso queixar. Numa das aulas práticas de Fundamentos de Enfermagem fiz de doente, deitada numa cama e foi muito divertido interagir com a turma, todos vestidos de branco. Nas aulas de anatomia, temos oportunidade de lidar com os ossos a 3 dimensões. Acreditem que ajuda imenso para saber os cantos das criaturas. Já tive o meu primeiro "teste/frequência" a EOSS, estava lá tudo que a professora realçou na aula de revisões. Um teste com apenas 1 pergunta. Modernices académicas. Acontece que me esqueci de um pequeno tópico na resposta, mas de certeza que tenho positiva.
No que toca a diversão da vida académica, tenho conhecido imensas pessoas, conheci pessoas que adoro, tenho a certeza que muitas delas vou poder chamar de amigas. É incrível como em tão pouco tempo cheguei a uma universidade que não conhecia mesmo ninguém e agora já falo com tanta gente e cumprimento com abraços sentidos. É tudo gente solidaria, não sinto competição. É bom o ambiente ser assim. A praxe, até hoje não faltei a nenhuma. Quero faze-las todas até ao fim. Ocupa-me uma tarde durante a semana. Uma tarde em que eu me sujo toda e saio de lá a sorrir. Esta semana fui batizada no batismo da universidade e apesar de ter ficado sentada no chão molhado toda suja e a levar com chuva na cara a cantar/gritar que nem uma "louca", adorei. Adorei simplesmente. Adorei e adoro tudo isto.
Tenho uma paixão gigante pelo curso. Conheci pessoas fantásticas. Estou a crescer como pessoa. Só posso agradecer a Deus, ao destino, a tudo o que me proporciona todas estas aventuras diárias, porque apesar da chuva é tudo memorável.

Comentários

  1. Ainda bem que estás a gostar, aproveita bem este primeiro ano e principalmente as amizades que irás fazer ao longo do tempo.

    Beijinhos,
    http://mrswonderlandby2.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras