Pular para o conteúdo principal

Apenas orgulhosa.

Passei um fim de semana complicado, sem saber exactamente o que estava a sentir. Percebi que compreendo melhor o estado de espírito dos outros que o meu. Não sei se estou bem, mal, sei que me encontro sem conseguir controlar o que vou viver. É demasiada informação sem resposta. Gosto de ter as coisas planeadas e a minha vida está tudo menos organizada. Tenho por habito tirar conclusões do que as minhas semanas fora do normal me proporcionam e o que tenho pensado é na forma estranha com que reajo as coisas. Enquanto cá estamos devemos viver realmente, espalhar amor, deixarmo-nos de hipocrisias e falas mansas. De bilhetes pelas costas ou falta de preocupação pelos outros. Este fim de semana percebi que ao estar naquele hospital eu não queria o meu estar mas sim o das pessoas que estavam ali comigo. Percebi que quando alguém morre pensamos na falta que ela nos vai trazer e não no que pude aproveitar com ela enquanto ela cá esteve. Eu não sei o que vai acontecer a minha avó. No meio disto tudo, apenas tenho uma certeza. Eu, e todas aquelas pessoas, família, vizinhos da porta, senhoras do lar, as pessoas que ajudaram e outros que a prejudicaram sem intenção, gostam dela. Estando ela neste momento numa cama de hospital, inconsciente,sente com toda a certeza as vibrações do verdadeiro amor neste mundo. Nunca ninguém se irá esquecer daquele sorriso com um olhar carinhoso, das suas respostas a quem pegava com ela, do pleno amor que mostrou toda a sua vida pelo meu avó, de toda a preocupação que tinha com os seus filhos, da forma dura e de toda a história que viveu, da sua teimosia, e do grande valor que dava a um pequeno objeto que tivesse novo. Tenho um sentimento de gratidão por ser uma das minhas avós, por aprender com o exemplo humilde que a vida não tem ser fácil, as dificuldades aparecem, a desistência não existe. É assim que me sinto, estranha, sem vontade de sorrir ou chorar, orgulhosa da pessoa que é e de toda a força tem. O amor existe e a minha avó ensinou-me a reconhece-lo.

26/27 de Abril 2015.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras