Pular para o conteúdo principal

O Principezinho


" As pessoas crescidas gostam de números. Quando lhes falam de um amigo novo, nunca perguntam nada de especial. Nunca perguntam: 'Como é a voz dele? O que é que ele gosta mais de brincar? Faz colecção de borboletas?' Em vez disso perguntam: ' Que idade tem? Quantos irmãos tem? Quanto é que pesa? Quanto é que ganha o pai dele?' Só então julgam ficar a saber quem é o vosso amigo." (Capituloo IV) 

"- Amar uma flor de que só há um exemplar em milhões e milhões de estrelas basta para uma pessoa se sentir feliz quando olhar para o céu. Porque pensa: 'Ali está ela, algures lá no alto...' Mas se a ovelha comer a flor, para  essa pessoa é como se as estrelas apagassem todas de repente! " (...) (Capitulo VII) 

"- Duas ou três lagarta terei mesmo de suportar para ficar a conhecer as borboletas. Dizem que são tão bonitas! " (...) (Capitulo IX) 

" A Terra não é um planeta qualquer. Tem cento e onze reis (contando, claro está, como os reis pretos), sete milhões e meio de bêbados, trezentos e onze milhões de vaidosos, ou seja, aproximadamente, dois mil milhões de pessoas crescidas". (Capitulo XVI)  

"As vezes quando queremos ter graça, damos por nós a mentir". (Capitulo XVII) 

"- Os homens? Devem ser aí seis ou sete. Vi-os há uns anos. Mas nunca se sabe onde encontrá-los. O vento leva-os de um lado para o outro. Não têm raízes e isso é muito incómodo para eles" (Capitulo XVIII) 

- " Sim, laços. - disse a raposa. - Ora vê: por enquanto tu não és nada para mim senão um rapazinho perfeitamente igual a cem mil outros rapazinhos. E eu não preciso de ti.  E tu também não precisas de mim. Por enquanto eu sou para ti uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativares, passamos a precisar um do outro. Passas a ser único no mundo para mim. E eu também passo a ser única no mundo para ti..." (Capitulo XXI) 

- " Conhecemos o que cativamos - disse a raposa - Os homens deixaram de ter tempo para conhecer o que quer que seja. Compras as coisas já feitas aos vendedores. Mas como não há vendedores de amigos, os homens deixaram de ter amigos. Se queres um amigo, cativa-me!" (Capitulo XXI)

- " Vocês são bonitas, mas vazias - insistiu o principezinho - Não se pode morrer por vocês. Claro que, para um transeunte qualquer, a minha rosa é igual a vocês. Mas, sozinha, é muito mais importante que vocês todas juntas, porque foi ela que eu reguei. Porque foi ela que eu pus debaixo de uma redoma. Porque foi ela que eu abriguei com o biombo. Porque foi ela que eu matei as lagartas (menos duas ou três, por causa das borboletas). Porque foi ela que eu ouvi queixar-se, gabar-se e até, ás vezes, calar-se. Porque ela é a minha rosa." (Capitulo XXI)

- "Não, não andam atrás de nada - disse o agulheiro. - Vão dentro do comboio a dormir ou então a abrir a boca. Só as crianças é que vão de nariz emborrachado nas janelas... (Capitulo XXII)

Este livro sempre esteve no meu quarto. Peguei pela primeira vez nele esta semana. Fascinou-me. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Tag: 50 perguntas aleatórias sobre mim.

Olá, não tenho feito nada produtivo. Estou legalmente de férias. Vim aqui responder a umas perguntas que ninguém me perguntou. Espero que gostem e se identifiquem.


1. Onde estavas à 3 horas atrás?
No meu sofá.

2. O nome da pessoa que estás apaixonada?
Ninguém.

3. Já comeste um lápis de cera?
Porque não? Não.

4. Perto de ti há alguma coisa rosa?
Sim, uma saca.

5. Qual foi a ultima vez que foste a um shopping?
No dia que fui ao cinema, ver a culpa é das estrelas.

6. Estás a usar meias agora?
Não.

7. A tua família tem um carro que valha mais de 2000 euros?
Sim, acho que sim.

8. Qual foi a ultima vez que foste para fora da cidade?
No domingo, fui a Aveiro e ao Porto.

9. Foste ao cinema nos últimos 5 dias?
Não.

10. És bonita?
Há dias que acho que sim, dias que acho que não..

11. Ultima coisa que bebeste?
Iogurte.

12. O que é que estas a vestir agora?
Roupa interior, calças e camisola.

13. Lavas o teu carro ou vais a uma bomba?
O meu pai trata disso.

14. Ultima comida que comeste?
Torradas. Acabaram de p…