Pular para o conteúdo principal

Sexta à noite #1

Desde pequena fui habituada a passar algum tempo sozinha, tempo esse que me ajuda a por as ideias no lugar e a reflectir sobre o acontece na minha vida.
Como por vezes estou sozinha à sexta à noite, passo este inicio de fim de semana sozinha, por isso, decidi criar uma nova "rubrica" no blogue, Sexta à noite. (que original Catarina)
Pensamentos, segredos, maluquices, dúvidas, o decorrer da minha semana, o que me lembrar.



Ouvi algures que uma mulher só fica realizada na vida quando plantar uma árvore, escrever um livro e tiver um filho. Acho surpreendente, porque há muitas mais situações em que uma mulher se pode tornar realizada. E o homem? Também terá três tarefas definidas para ser realizado? Desconheço, mas talvez sim.
Todavia, hoje queria focar-me no tema "escrever um livro".
Material: Imaginação, Cultura, Tempo, Caneta, Papel, Vontade, Criatividade ...
Procedimento? Não sei. Ando a pensar nisto a tanto tempo. Na escola somos treinados para escrever textos argumentativos de 200 a 300 palavras. Um livro tem mais de 200 ou 300 folhas que fazendo o cálculos de 10 palavras por linha tendo cada folha 30 linhas se tivermos a falar de um livro de mais de 250 folhas, teremos 75000 palavras no mínimo. E agora? Acho que não vou ser realizada, uma árvore já plantei, um filho pensarei nisso daqui a uns 10 anos. Um livro que penso hoje, não me sinto capaz.
Só li dois bons livros na vida e sem conhecer a vida dos autores, eu imaginei e acreditei verdadeiramente nas histórias, li e senti vontade de ler de novo. Ter a capacidade de se criar historias diferentes, longe da realidade que se vive é surpreendente. Não é preciso saber palavras difíceis para escrever um livro, é preciso ser o destino da personagem usa-la e tirar lições dos seus feitos.
Já pensei em variadíssimos temas para um livro, mas sempre que penso na historia vou ter ao que gostava que fosse a minha vida e não dou vida a personagem que estou a criar, mas a um clone meu que simplesmente tem uma vida bem melhor que a minha.
Atualmente sinto-me incapaz de o fazer, mas talvez uma noite fique sem sono e me agarre ao papel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras