Pular para o conteúdo principal

Escolher o Futuro.


Estás acabar o 9º ou o 12º e agora não sabes o que vais fazer. Chegam perto de ti e colocam-te uma serie de opções e agora escolhe. Decide o teu futuro já. Observas os factores e sentes-te completamente perdido. Os teus amigos, a tua escola, o dinheiro, a tua capacidade, o teu gosto, a vontade dos teus pais, o desemprego, o conselho das outras pessoas. Ficar a dormir parece-te a melhor opção. 
Para ti que estás no 9º ano, o que estas a sentir é normal. Estão é a fazer-te pensar de uma forma errada. Não é por ires para artes que não poderás ir um ramo da ciência futuramente. Ou ires para línguas, obriga-te futuramente a ir para letras ou direito. Ou ainda, por ires por um curso profissional não puderas seguir um curso universitário. É mentira. Posso dizer-te que deve contar na tua escolha é o teu gosto pelas disciplinas e a tua vontade de quereres estudar a sério ou não. 
No meu caso, toda a minha vida me dei mal com línguas, safava-me em matemática e ciências, e desenhar para mim era um gosto e não uma obrigação. Lembro-me que fiquei muito na duvida se iria para um curso profissional de biologia ou não. Naquela altura estavam iniciar os cursos profissionais e tudo aquilo era um tabo. 
O que influencia no vosso futuro é as bases e métodos de trabalho que têm para determinadas disciplinas que posso ter se querem ir para o ensino superior. E também o titulo no final do 12º, se forem pelo ensino regular têm apenas o 12º feito, se forem por um curso profissional têm o 12º e o titulo profissional de alguma coisa. Tu sabes no que te vês ou não, sem medos, força. 
Há um ano trás estava cheia de medo e escolhi na ultima. Eu apenas tinha uma certeza: uma lista inteira daquilo que não queria fazer. Sabia o bichinho que tinha em mim. A vontade de miúda de seguir Saúde e a vontade de crescer, deixar de ser a bebe da casa. Estou satisfeita com a minha escolha.
Se acordo com a tua média sê realista, e vê os vários fatores, queres vir a casa todos os dias ou preferes passar lá a semana? E o curso, no que é que te imaginas? Aconselho-te também se tiveres oportunidade ir visitar as universidades e ver qual delas te identificas mais. Há mais uma coisa, seja o curso que escolheres, tem orgulho nele, é tão digno como qualquer outro, independentemente do futuro salário o importante é que gostes.

"Tenta ser aquilo em que acreditas
Dois Sois, um só sentido
Deixa-te ir,
O coração


Tu vais saber seguir"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…