Pular para o conteúdo principal

O meu aspeto físico.


Hoje venho falar do um tema que é abordado todos os dias da minha vida, exceto se me embrulhar numa manta e não sair do sofá.  As pessoas estão constantemente abordar-me sobre o meu aspeto e a idade que aparento. Tenho várias histórias a contar, umas mais interessantes que outras. Ontem aconteceu-me uma situação particularmente interessante. Muito resumidamente, fui acompanhar a minha avó a uma consulta. Sempre que a minha mãe o fez, a médica e a enfermeira queriam a minha mãe presente na sala para tomar conta das ideias e disse "Catarina entras com ela." Então nós chegamos e ficamos a espera. A minha avó e uma senhora que também estava na sala de espera começaram com a conversa do tempo e conversa puxa conversa, passaram a falar do natal e por aí além. A senhora na inocência vira-se para mim como se eu ainda tivesse dez anos "Então e tu, já escreveste a carta ao pai natal?" e eu ri-me, e fui no jogo e respondi "Claro que sim, fiz uma lista enorme e até já a levei ao correio."  Entretanto chega a senhora enfermeira e diz a minha avó para ir com ela, eu levanto-me e a senhora "A menina não pode entrar, tem que ficar cá fora". Voltei a rir-me, e aproveitei para dormir um bocado. Vem a minha avó toda contente, e a senhora enfermeira diz "Tenho um recado para dar a sua mãe pode ser?" e eu pensei, quer diz agora já tenho idade para isso. Começo a pensar que tenho que andar com o cartão de cidadão colado na testa para as pessoas perceberem que não tenho 10 anos. 
Reconhecem que sou maior de idade por já ir ao banco, centro de saúde sozinha, andar na universidade e andar a tirar da carta, aquilo que é suposto fazer depois de ter 18 anos. Sou pequena é verdade, tenho cara de menina, e não tenho muito corpo. Eu sinto-me normal, Ok não tenho cara de idosa, mas não sei o que faça mais. Acho que em vez de me apresentar pelo nome, começo apresentar-me pela idade, para que fique bem esclarecido que já não penso numa lista que quero receber no natal. Se as pessoas não me conhecerem 'julgam' que sou uma criança do ensino básico. Felizmente lido bem a situação, e como a de ontem ainda deu para me rir um bocado. Com estes anos, comecei a usar sapatos mais altos, roupas mais clássicas e menos desportivas para pelo menos conseguir chegar aos 16, 17 anos. Já sei que para me darem a minha idade atual provavelmente quando tiver 30. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…