Pular para o conteúdo principal

Rebuçados à Solidão

A solidão do outro lado da parede dói, mas a que tu vês pelos teus próprios olhos dói ainda mais. Sabes que não podes mudar isso, porque não te compete. Pergunta-te , mas não te martirize, porque não te compete, compete ao destino. É o que deves pensar. Ou então és como eu e martirizas-te a pensar nas relações humanas e o quanto desejavas ter nascido numa melhor realidade.
Nasces, não escolhes o conjunto de pessoas que te vão rodear daí para a frente. És pequenina e tens a sorte de teres um cabelo que dá para fazer tranças em que as pessoas te acarinham. Não as escolheste mas elas gostam de ti. Dão-te balões e rebuçados. Tens alguém que olhe por ti, que veja o mundo à tua frente, para ter a certeza que não te acontece nada de mal. Entretanto cresces. Começas a caminhar por ti. Vês o mundo sem ter ninguém que te proteja.
Começas a perceber que aquela realidade que temias, a realidade da solidão e do abandono existe. Aquele velhinho da tua rua que tu achavas esquisito falar contigo sem te conhecer provavelmente tem família mas essas pessoas não querem saber dele. Os irmãos, primos de infância, os vivos, os filhos e netos, os vivos só vão ter com ele quando precisam de alguma coisa.  A herança é o importante, devem querer dividir os garfos que ele tem na gaveta da cozinha.
A realidade é esta, enquanto vivos as pessoas importam-se com os seus prazeres e não se lembram de quem os protegeu do mundo. Depois do velhinho morto vão chorar e gritar para os funerais.
Compete-te a ti cuidares de quem cuidou de ti, de quem te deu um rebuçado. Se ele te pede carinho com o olhar da-lhe um pouco de atenção.
Não deixes que a pessoa morra para depois te lamentares.

Comentários

  1. O texto está lindo :)
    Concordo contigo.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Muito obrigada, é ótimo receber um bom feedback (:
      Beijinhos

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…