Pular para o conteúdo principal

Suicídio.

Todos os dias ouço na televisão e pela boca das pessoas que pessoas afastadas se mataram. Bem longe da minha mente nunca pensei muito nelas. Esta semana, um rapaz um pouco mais novo que eu suicidou-se. Nunca o conheci apesar de termos pessoas em comum. Não sabia da existência dele no mundo. Não conheço a sua história nem os motivos que o levaram a fazer isto.Surpreendentemente não vim aqui para o criticar ou para criticar as pessoas que conviviam com ele. A morte dele fez-me pensar na coragem que teve de o fazer e o nível de sofrimento que devia ter em si. Há momentos da nossa vida que batemos, choramos, partimos coisas tudo para tentar acalmar a raiva que sentimos. Existe um nível de sofrimento tão grande que todos estes escapes que nos deixem continuar vivos não permitam acalmar o sofrimento? Parece que sim. Talvez a morte seja a maneira mas alta de chamar atenção para cima de uma pessoa, mas essa pessoa não vai ficar cá para ver isso.Se estas a ler isto, e o teu objetivo é este. Por favor usa a coragem que tens para acabar contigo, para falares com alguém para te expressares, alguém te vai ouvir. Apesar de existir pessoas no mundo que te causam dor, existe música, desporto, animais, papel, Internet que te podem acolher. Vais conseguir tornar-te mais forte se a morte não for a tua escolha. Alias, já és forte por te sentires assim e tentares encontrar caminhos para sentires melhor. Se precisares de alguém para falar, eu quero em ouvir-te e conversar contigo. 

Comentários

  1. Escrevi quase sobre o mesmo tema, acho que este acontecimento fez mudar muita coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, infelizmente só a partir de agora vamos estar mais atentos.

      Excluir
  2. Confesso que este testo mexeu comigo e me fez pensar em muita coisa :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por vezes só deparados com a realidade, nos apercebemos :s

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras