Pular para o conteúdo principal

Tag: Meu passado me condena

Oi :) Tenho andado com o cérebro oco para escrever. Para escrever preciso de ter tempo e sempre que começo ultimamente sou interrompida por tarefas da vida em geral e se deixar a meio nunca termino o meu pensamento como queria, por isso alguns textos dos últimos dias ficam em rascunho por uns tempos. 


(1) Já cortas-te o teu próprio cabelo? Arrependeste-te disso? SIM. Na primária lembro-me de ter um caderno feito pela professora que tínhamos que colocar lá as nossas marcas, impressões digitais, desenhos, e havia uma pagina para por um fio de cabelo. Como inteligência que era, decidi cortar a parte da frente meia repa, conclusão, a minha mãe adorou como devem imaginar. Não me arrependo, se não, não era giro responder hoje a esta pergunta. 

(2) Já brigou com um amigo por motivos inúteis?
Tenho amizades que a maioria das vezes só falamos por provocações, torna-se divertido. 

(3) Já quebraste alguma coisa e fingiste que não eras tu? 
Desastrada como sou já quebrei muita coisa, mas fico com a consciência pesada e assumo a culpa. 

(4) Já tocaste a campainha dum vizinho e saíste correndo? 
Não me lembro de uma situação em que tenha sido eu a fazer isso. Mas quando brincava na rua com os meus amigos do básico, eles faziam isso e eu corria ou fazia que não era nada comigo. 

(5) Já gozaste com alguém por telemóvel (chamada privada)?
A ultima vez foi no jantar de Natal com as minhas amigas, foi divertido mesmo não tendo jeito para gozar com as pessoas sem elas saber que sou eu.

(6) Já fizeste parte dum gangue? 
Não filhotes :) 

(7) Brincavas ao verdade e consequência? (conta uma história engraçada)
SIM, no básico também. Se estão a espera que vos conte que andei a dar beijinhos, não me lembro de isso ter sido alguma vez uma consequência, com pena que assim não tenho uma história engraçada. Só sei que para nós era divertido perguntar a verdade e a pessoa supostamente dizer não para fazer a consequência. Perguntavam coisas do género: "É verdade que já vieste com cócó nas cuecas para a escola?" Era tudo relacionado com cocó, xixi e se gostas deste ou daquele. E consequências eram do género: " Vai aquela mesa e puxa o cabelo ...", "Dá 3 voltas a correr". 

(8) Já pegaste alguma coisa de uma pessoa sem ela te emprestar ou dar?
SIM. Material do porta-lapis da pessoas que estão sentadas ao meu lado nas aulas e tenho confiança com elas. Naturalmente. 

(9) Já copiaste numa prova?
SIM. Montes de vezes. A primeira vez foi num teste de Francês do 8º ano, era impossível decorar a composição. Levei uma camisola amarela enorme, estava sentada atrás de todo e estava em pânico, mas deu. No secundário a calculadora servia de auxilio de memória. Na universidade as pessoas usam o telemóvel com os powerpoints. Só o fiz uma vez até agora, tirei fotografia ao resumo que tinha feito e ajudou imenso estava cheia de medo, olhava para os lados e era tudo a copiar. Chegasse a uma certa idade que já não se tem peso na consciência no que toca a copiar. 

(10) Quais são os erros de maquilhagem que cometias no inicio? 
Eu não tenho jeito nenhum para maquilhagem em geral (e estou no inicio) Ontem apercebi-me que não sei por sombra nos olhos, senti-me uma palhaça com aquilo mesmo para o Carnaval. 

Espero que tenham gostado, sintam-se à vontade para fazer também. Volto com um tema que tenha opinião critica sobre o assunto. Beijinhos. Bom resto de Carnaval.


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Motivação, Frustração e Conflito.

A motivação é o que leva o sujeito a agir,  a iniciar um ação, continuar ou acabar. É o motor de todos os nossos comportamentos. As atitudes e os comportamentos são determinados pela motivação. Isto é um processo dinâmico, há que ter em conta as diferenças individuais e os motivos que regem as ações das pessoas. Vem da necessidade, da carência e da ausência de, do estado interno da pessoa que resulta dessa necessidade, do impulso que serve para satisfazer as necessidades fisiológicas básicas (como comer, beber, dormir) e do instinto (padrões de comportamento hereditários). A motivação vária com o contexto, tarefa, a orientação e a intensidade. Tem factores intrínsecos (características interiores do individuo) e extrínsecos (ambiente, como frio e sol). Os extrínsecos podem ser factores do acaso, ou seja não planeados ou factores contingentes (previsíveis). Podem ainda ser individuais (relacionados com a sobrevivência não aprendida) ou sociais (aprendidos através das interacções sociai…

Apenas conversar.

Hoje vim contar-vos um pouco da minha forma estranha de ser. Conheço algumas pessoas com estar forma de viver no mundo e confesso que tenho alguma dificuldade em lidar com elas por serem tão parecidas comigo, com as outras também, mas pronto. Chamo-lhe síndrome da escassez de palavras. Tenho dificuldade em falar com pessoas que falem muito e não sabem ouvir. Gente que gosta muito de falar, que tem assunto sobre tudo, mas só se quer fazer ouvir. Acabo por olhar para o horizonte e responder com poucas palavras monossilábicas. Algumas fazem-me sentir que o que estou a fizer não tem interesse nenhum. Se eu tento criar assunto com alguém e recebo desprezo vou deixar de ter vontade de interagir e comunicar com essa pessoa. Por vezes, tenho alguma vergonha de me mostrar, dá-me para medir as palavras, por não saber exactamente ideia que a pessoa tem de mim ou simplesmente por achar que essa pessoa tem uma ideia errada acerca deste ser, não me sinto à vontade com a pessoa e só me apetece fugi…

Retrato da semana #2

Imagem retirada: Facebook - Cifras